Curso de Marketing digital para não marqueteiros

Olá pessoal, tudo bem?

O ano está acabando e estamos com um curso de marketing digital especial para você começar 2017 cuidando da sua imagem na internet.

OBJETIVOS –  JUSTIFICATIVA

  • Nosso objetivo: Capacitar empreendedores que a utilizarem as principais ferramentas de marketing digital;
  • Justificativa: Neste curso você irá conhecer o que são, quais e como as principais ferramentas de marketing digital podem ajudar na sua carreira profissional. Tendo em vista que é fundamental para qualquer pessoa que pretende alcançar mais clientes através da internet, este curso visa possibilitar o empreendedor a compreender a dinâmica e o funcionamento dos canais digitais, bem como quais ferramentas mais aconselháveis para cada meio.

PRINCIPAIS INFORMAÇÕES

  • Data: 19 de janeiro de 2017, das 18:30h às 22:30h;
  • Carga horária: 4 horas;
  • Investimento: R$197,00.
  • Vagas: 25

Local:

PÚBLICO-ALVO

  • Pessoas que estejam dispostas a captar mais clientes e aumentar suas vendas através da internet.

QUEM É ESSE TAL DE DIEGO SANTOS?

  • Diego Santos: É profissional de marketing digital. Profissional do mercado, com passagens por Agências e empresas como UOL, Portal ORM, CESUPA e Carsale. É formado em Criação e Produção Publicitária pela FAZ – FACULDADE DE TECNOLOGIA DA AMAZÔNIA e pós em Comunicação em Redes Sociais pela UNINOVE –SP.

Atualmente é consultor e instrutor do curso de Marketing Digital na Vindi – Ideias e Inovação, além de professor de pós-graduação no CESUPA.

 

O QUE VEREMOS?

  • Parte 1 – Introdução, Definição e Cenário
    • Definição;
    • Tendências;
    • Estudo de caso;
    • Briefing;
    • Atividade

 

  • Parte 2 – Compra de mídia: tipos e plano
    • Características dos meios digitais
    • Formatos de negociação
    • Segmentação;
    • Google Adwords;
    • Facebook ads;
    • Banners;
    • E-mail Marketing;
    • Pod cast;
    • Métricas;
    • Criação do plano de mídia.

 

  • Bônus: E-BOOK EXCLUSIVO sobre Redes Sociais e marketing digital:FORMAS DE PAGAMENTO E INFORMAÇÕES IMPORTANTES
    • Forma de pagamento: PagSeguro (boleto ou parcelado em até 12x sem juros)

CLIQUE AQUI PARA PAGAR

  • Informações importantes:
  1. A quantidade de vagas disponíveis é controlada de acordo com o número de inscrições pagas;
  2. Caso o participante efetue o pagamento após o preenchimento das vagas, terá o reembolso de 100% do valor pago em até 15 dias úteis;
  3. A confirmação de vaga ocorrerá via e-mail a ser enviado pela Vindi Ideias e Inovação;
  4. O horário do curso deverá ser seguido rigorosamente. O aluno só poderá atrasar em até 10 minutos, ou não receberá o certificado;
  5. Em caso de cancelamento do curso por falta de quórum (mínimo de 10 pessoas) será devolvido 100% do valor pago pelo participante;
  6. Em caso de desistência, a devolução do valor pago seguirá os seguintes procedimentos;
  7.  Desistência antes do início do curso: ressarcimento de 85% do valor pago em até 15 (quinze) dias úteis;
  8. Desistência após o início do curso não haverá ressarcimento do valor pago;
  9. A inscrição estará devidamente aceita após a confirmação do pagamento até o início do curso;
  10. Pagamentos via Pagseguro somente serão aceitos até o 48 horas antes do início do curso, as demais inscrições, caso ainda existam, deverão ser pagas em espécie diretamente no local do curso;
  11. Todos os reembolsos terão o prazo de 15 dias úteis (após o envio dos dados bancários) para serem realizados e podem ser solicitados pelo e-mail contato@vindi2i.com.br.

Redes Sociais para empresas. Vale a pena o B2B?

O uso das redes sociais para fazer Business to Business (B2B) nem sempre foi bem aproveitado, e percebemos que tem sido difícil para empreendedores iniciantes no marketing digital explorar plenamente o poder de seu benefício. Vale ressaltar que o marketing digital é melhor aplicado para  Business to Consumer (B2C) do que para B2B, no entanto  aos poucos está se tornando uma das formas mais eficazes para empresas que apostam no mercado online.

Aqui estão algumas maneiras que sua empresa B2B pode usar a mídia social.

Para a rede de negócios e desenvolvimento

As redes sociais são uma ótima maneira de iniciar e fazer crescer sua campanha de branding, bem como desenvolver parcerias estratégicas. Plataformas como o LinkedIn permitem conectar profissionalmente pessoas com o mesmo interesse, isso inclui possíveis clientes e fornecedores. Além disso, é uma ótima maneira de se manter informado sobre o que está acontecendo no mercado que está inserido.

Estar envolvido em comunidades e redes sociais onde seus clientes estão

As empresas não devem permanecer em sua zona de conforto, e sim ir para onde seus clientes estão. Realizar pesquisas de mercado para encontrá-los e o que estão usando é uma ótima investida. Mas para que isso ocorra de forma eficaz você deverá reservar um tempo para pesquisar, monitor o tráfego e ouvir seus concorrentes e o mercado.

Criar fóruns e comunidades é uma boa alternativa, pois incentiva seus clientes a participar para que um ajude ao outro, além de ajudar a atrair potenciais novos clientes. Estar envolvido nos fóruns e comunidades de seus clientes ajudará expandir o seu alcance, a notoriedade da sua marca, leads e entendê-lo, ao mesmo tempo que permite que eles entendam melhor sua proposta de mercado e trabalho.

Oportunidades para chegar aos principais influenciadores no seu mercado-alvo

Enquanto sua empresa não se estabeleceu como referência no seu nicho, tente ganhar a empatia dos influenciadores da sua rede através da interação com eles. Além disso, fazer com que as empresas e seus consumidores se volte para os influenciadores como uma fonte confiável fará com que seu marketing boca-a-boca se torne mais eficaz.

Portanto, encontre influenciadores-chave, que são relevantes para seu negócio, e mostre como eles podem fazer uma diferença notável. Tudo isso por que a maioria dos influenciadores têm uma forte presença on-line nas mídias sociais. LinkedIn, Google+ e Twitter são amplamente utilizado por formadores de opinião e são canais de comunicação de proximidade que você deve ser ativo.

Partilhe a sua experiência e conhecimento

É importante e benéfico compartilhar experiência e conhecimento, e as mídias sociais permitem que você facilmente compartilhe sua experiência e conhecimento para um conjunto mais amplo de público em pouco tempo. É muito mais fácil e mais eficiente compartilhar um post, escrever em um blog e hospedar um hangout no Google+ do que manter uma conferência ou comércio. Permitindo que estabelecer-se como um líder opinião um determinado nicho e, assim, ajudar a sua marca se tornar mais visível, valiosa e confiável.

Aproveitar a sabedoria de seus consumidores

A mídia social fornece uma outra forma de conhecer mais seus clientes, lhe capacitando a reunir informações valiosas sobre como eles se comportam e o que estão interessados. Portanto, você pode aplicar esse conhecimento em suas campanhas, ofertas de produtos e esforços de marketing para atingir os consumidores, aumentando assim, os retornos de investimento.

Muitas pessoas estão cansadas do marketing offline, e esta é a razão pela qual a mídia social está se tornando muito eficaz, pois permite que as empresas parem de ignorar a opinião de seus clientes e melhore o relacionamento com eles através do compartilhamento de ideias, experiências e perspectivas. Como uma empresa B2B, você deve investir em mídia social para melhorar seus esforços de marketing.

Dicas de finanças para pequenas empresas

Olá mochileiro, tudo bem?

Já está pronto para continuarmos em nossa jornada rumo ao sucesso? Hoje estamos trazendo mais um capítulo do nosso Guia do Empreendedor das Galáxias. Desta vez, o assunto é finanças: vamos lá?

Lembrando que é NECESSÁRIO que você já tenha lido os capítulos 1, 2, 3 e 4

Sem as finanças previamente definidas, sua empresa poderá nem sair do papel! Vamos mergulhar mais fundo para descobrir quanto dinheiro precisará e como obtê-lo.

De quanto você precisa para começar a empreender?

Primeiro você precisa determinar o custo inicial. Quanto você precisará para tirar seu negócio do papel? Faça uma lista de todas as despesas para os primeiros seis meses. Algumas serão continuas, tais como de estoque e o pagamento de aluguel, outras serão custos mensais, como a compra de um equipamento.

Depois de ter feito a lista, decida quais das despesas são essenciais e quais são opcionais. Corte as opcionais do orçamento. Você poderá comprar algo desse item depois, uma vez que seu negócio está dando retorno.

Finalmente, ao lado das despesas essenciais, anote se cada uma delas é fixa ou variável. As fixas significam que os valores podem mudar num futuro próximo, como a do aluguel. Já as variáveis significam que a despesa/custo pode aumentar num mês e baixar em outro, como as de estoque (especialmente se você tiver uma temporada de mais trabalho) e os custos de transporte (são determinados pela quantidade de itens que vender).

Como você obterá o capital?

Se precisar de empréstimo para começar sua empresa, você terá que reunir os seguintes documentos – é importante notar que uma instituição financeira pode solicitar documentação diferente de outra:

  • Informações pessoais básicas, tais como endereços anteriores, nome, antecedentes criminais e escolaridade;
  • Currículo atualizado;
  • Plano de negócio;
  • Relatório de crédito pessoal (o credor terá um, mas é importante ter um para corrigir possíveis erros do relatório);
  • Relatório de crédito do negócio (se já tiver um);
  • Imposto de renda pessoal e da empresa dos últimos três anos;
  • Demonstração financeira (se você for dono de mais de 20% das participações da empresa);
  • Demonstração bancária anual pessoal e da empresa;
  • Garantias (alguns programas de empréstimo não exigem garantias);
  • Documentos legais, quando solicitado, tais como licença e registro da empresa, contrato social, cópias de todos os contratos com terceiros, franquias e arrendamentos comerciais.

Crédito Pessoal e Crédito Empresarial

Muitas pessoas não compreendem que crédito pessoal e credito empresarial estão intimamente ligados. Sem um histórico de crédito empresarial estabelecido, credores terão que usar o seu crédito pessoal para determinar se emprestam ou não dinheiro a você. Avaliando sua atual situação financeira, mais fácil será disponibilizado um plano de crédito e melhores serão as chances do seu crédito ser aprovado.

Além disso, percebemos que muitas pessoas têm seu pedido de empréstimo para pequenas empresas recusado logo na primeira tentativa. Há diversas razões para que isso ocorra, então examinamos alguns casos para ajudá-lo a aumentar as chances de ter seu empréstimo aprovado.

Razão 1: Propósito Inconsistente para Solicitação de Crédito

Credores querem saber se você tem uma boa razão para pedir dinheiro emprestado. Por isso é crucial ter um plano de negócio que mostre que seu negócio atenderá a uma necessidade, que há mercado para seu produto ou serviço e que você pegará dinheiro emprestado para cobrir apenas as despesas essenciais.

Lembre-se, quanto menos dinheiro você pedir, maiores serão as chances de ter seu crédito aprovado. Se seu empréstimo for recusado porque o credor acha que você possui propósitos inconsistentes, terá que cortar gastos ainda mais ou terá que trabalhar duro para provar que sua ideia de negócio será rentável.

Razão 2: Erros no Relatório de Crédito do Requerente

Os credores muitas vezes exigem uma garantia pessoal do devedor em caso de inadimplência. Isso significa que o seu histórico de crédito pessoal irá ajudar a determinar se o empréstimo está concedido ou não, especialmente para novos empreendedores que não tem uma linha de crédito empresarial para mostrar.

Todos os credores realizam uma verificação de crédito de um requerente, portanto, é importante revisar seu relatório antes de submetê-lo ao empréstimo. Você recebe um relatório de crédito todos os anos, mas para caso não tenha recebido verifique nas três agências de crédito.

Revise seu relatório de crédito para ter certeza de que está tudo bem detalhado. A Motle Fool dá alguns conselhos de como analisar os erros:

“Existe dois tipos de erros no relatório de crédito – as informações estão completamente imprecisas ou machucadas, de forma que refletem o erro do seu caminho. Os erros mais comuns podem incluir contas erroneamente atribuídas a você, aviso de aplicações não preenchidas e endereço residencial ou informações de emprego desatualizadas. Podem conter também omissões, tais como presença de alguma inadimplência que já tenha sanado, ou ainda ações de cobrança antigas que estão sendo declarada como vencidas. Outro tipo são as trazidas por você mesmo. Não tem como negar uma auto infração com cicatrizes no seu relatório de crédito (embora você tente, e possa ter êxito se pegá-lo numa agência em um bom dia).”

Atenção! Quando você for contestar um erro no seu relatório de crédito, tanto a empresa de relatório de crédito quanto à fornecedora das informações (a empresa que forneceu as informações para a agência de crédito) tem que se responsabilizar pela correção das informações imprecisas ou incorretas.

Por hoje é só. Anote tudo e prepare-se que ainda tem mais conteúdo sobre finanças para pequenas empresas vindo aí.

Até lá!

 

O que empreendedores podem aprender com Star Wars

O Despertar da Força com certeza seu lado empreendedor aparecer fará.

Estamos chegando no final de 2015 e o melhor, estamos chegando na estreia do tão aguardado Episódio 7 de Star Wars. Talvez mais aguardado (por alguns) que a renúncia da presidente ou o mais novo hit do Latino.

Não me considero o fã número um da sextologia, mas negar a grandeza e importância dos filmes para a indústria cinematográfica e cultura pop chega a beirar a heresia. Muitos podem dizer que existe um “Q” de infantilidade, de simplicidade no núcleo real da trama; afinal tudo se resume a uma briga de família e disputas por poder, certo?

Mas empreendedor atento não deixa passar nada sem tirar uma lição disso tudo. E é para isso que estamos aqui.

Passei o final de semana “de molho” vendo todos os 6 filmes na sequência certa (IV, V, I, II, III e VI) para analisar (e me divertir, claro) quais lições podemos tirar de Star Wars para aplicar a nossa vida empreendedora; vamos lá?

Uma equipe de confiança é chave para o sucesso

Eu adoraria ter um Chewbacca na minha equipe – fiel, forte e felpudo. ¯\_(ツ)_/¯

E quem não quer um Jedi, uma princesa, e um pequeno robô parrudinho e bonito a seu lado? Mas, falando sério, quando o assunto é empreender o componente mais importante do sucesso é uma grande equipe – unida, que brigue pela mesma causa e que esteja sempre pronta para grandes desafios.

Mas não aconselho chamar o Jar Jar Binks para ser seu orador =/

Uma pessoa sozinha não consegue destruir nenhum império do mal, é sempre uma equipe quem ganha – vale até ser uma equipe que começou pequena e desconexa com membros que muitas vezes têm talentos complementares, e que juntos são fundamentais para o sucesso da empreitada.

Aproveite o seu poder de autoestima e acredite no que está fazendo

Falando por experiência própria, posso te dizer que as dificuldades de empreender são uma parte valiosa do empreendedorismo. Elas ocupam a sua mente a ponto de você perder o sono. E, de repente, quando você acha que está sem saída… PÁ! A solução surge de alguma forma. Você empresário sabe do que estou falando.

Na realidade, o seu maior obstáculo pode ser a sua mente. E como diria o Mestre Yoda

“O lado negro mancha tudo. Impossível de ver o futuro é.”

Como um bom Jedi você deve confiar em seus instintos sem deixar a lógica de lado (plano de negócios, modelagem, documentação, estudo de caso e de mercado etc.). Em casos de desespero, manter a calma e confiar em si mesmo é a melhor forma de encarar seus problemas.

Tenha seu próprio Yoda

Às vezes, introspecção e autoconhecimento não é suficiente para que você passe por uma fase difícil. Aí é que a presença de um mentor pode ser inestimável.

Encontre o seu Yoda. Bom, o seu mentor pode não ser tão verde ou falar de trás para frente, mas já está valendo. Luke teve dois: Obi-Wan e Yoda.

Obi-Wan já estava cuidando do jovem Skywalker, mas Luke procurou Yoda para alcançar seu pleno potencial. No fundo, até mesmo o seu “eu” egocêntrico sabia que ele ia precisar de ajuda de alguém que tinha lidado com o lado escuro antes.

Finalizando, não procuro conforto em um mentor que apenas te envie mensagens motivacionais. Encontre um mentor que seja (ou tenha sido) empreendedor no mesmo campo de atuação do seu negócio. E acredite, o sucesso é tão gratificante para ele quanto será para você.

Por hoje é só. Agora gostaria de ler o que você tem a dizer: será que ainda dá para aprender mais lições de empreendedorismo assistindo Star Wars? Quais?

Guia do Empreendedor das Galáxias: da ideia ao lançamento

Saudações, terráqueos. Hoje vamos dar início a uma jornada sem precedentes para auxiliar empreendedores de primeira viagem a lançar sua ideia rumo ao sucesso.

Mas de onde você tirou esse título, cara?

O nome pode parecer pretensioso, afinal o que o Guia do Mochileiro das Galáxias tem a ver com empreendedorismo?

Decidi usar esse título por dois motivos: 1) Assim como a incrível obra de Douglas Adams, nosso objetivo é criar um guia que conduzirá aventureiros em uma jornada sem fronteiras e 2) Foi lendo a quintologia que eu tive algumas ideias dignas de por em prática (e as executei) e outras que não valeriam a pena saírem da minha mente (e lá ficaram).

Aconselho você a curtir nossa página no Facebook e seguir a Vindi no Twitter para não perder as próximas edições.

Antes de qualquer coisa: Don’t Panic

É normal a ansiedade de por logo suas ideias em prática. Prosperidade e sucesso é o que muitos empreendedores desejam quando iniciam seu próprio negócio. No entanto, leva mais tempo do que você imagina para que uma empresa recém nascida tenha êxito, ou mesmo entre no ponto de equilíbrio.

Capital, dinheiro necessário para iniciar, ações e expansão da empresa são importantes, assim como o gerenciamento de suas finanças pessoais e o equilíbrio das demandas de seu negócio. Felizmente, você tem opções quando se trata de financiar seu negócio e oportunidades de adquirir habilidades necessárias para efetivamente gerenciar suas finanças tanto no trabalho quanto em casa.

E felizmente, estamos aqui para te ajudar :)

Como este artigo corre o risco de ficar mais longo do que o normal, vamos separar o conteúdo em doses homeopáticas. Claro que sempre haverá a opção de você mandar um e-mail para falarmos mais de perto sobre seu negócio. Clique aqui para encurtar seu caminho ao sucesso.

AVISO! O Guia do Empreendedor das Galáxias é um projeto da Vindi para ajudar pessoas a iniciarem sua carreira empreendedora: esteja pronto para ler muito e obter dicas essenciais para o seu futuro.

Hoje vamos abordar o começo de tudo, aquele momento no qual você está saindo do campo das ideias e já está começando a engatinhar. E a pergunta a  seguir é como vamos separar os empreendedores dos assalariados.

Ser dono de uma empresa é o ideal para você? Mesmo?

O que passa pela sua cabeça ao pensar em ser proprietário de uma pequena empresa? Parece arriscado?

Será que você está pensando como os caras do Banchman Turner Overdrive quando dizem “It’s the work that we avoid, and we’re all self-employed; we love to work at nothing all day…”? algo como “É o trabalho que nós evitamos, e somos todos trabalhadores por conta própria; nós gostamos de trabalhar em nada o dia todo” (tradução livre).

Deixando o rock à parte, a verdade é que empreender é TRABALHO pesado. Todo empreendedor deve ser “pau para toda obra”. Por exemplo, um fotógrafo não se atém a apenas tirar fotos, ele é responsável também pelo marketing, pelas vendas, pelo faturamento e muito mais. Mesmo que contrate alguém para ajudá-lo, ele ainda é responsável pelos resultados, já que seu sustento depende disso.

No artigo (em inglês) “Como decidir se o empreendedorismo é certo para você“, Colleen DeBaise descreve o compromisso que o empreendedor deve ter com seu negócio/empresa:

“Começar uma empresa é muito parecido com se tornar pai. Você não tem só que se preparar emocionalmente e financeiramente, mas também tem que estar comprometido com as constantes necessidades até que amadureça o suficiente para andar com as próprias pernas. E mesmo assim (como uma criança) sempre precisará de você, não importa quantos anos tenha.”

Claro, assim como qualquer coisa na vida, empreender tem seus prós e contras. Então, pense bem antes de decidir se esse caminho é para você.

Para começar, vamos comparar: pequeno empreendedor x assalariado:

  1. Possuir uma empresa de pequeno porte é um trabalho interessante. Provavelmente, você que começar um negócio em algo que está apaixonado. Isso é muito atraente para pessoas que estão presas a um trabalho pouco estimulante ou desafiador;
  2. Empreendedores podem definir seus próprios horários. Dependendo do tipo de negócio que irá abrir, você poderá desfrutar de um horário mais flexível que um assalariado;
  3.  Empreendedores trabalham duro, mas se beneficiam diretamente. Enquanto um empreendedor pode ter dias que trabalhará 12 horas, alguns assalariados se perguntam se realmente é benefício trabalhar duro vários dias do mês – para receber a mesma quantia de dinheiro. Um pequeno empreendedor pode trabalhar algumas horas a mais, mas terá o resultado em sua conta;
  4. Ganhos ilimitados e crescimento em potencial. Dados de 2011, levantados pelo SIPS (Sistema de Indicadores de Percepção Social), mostram que micro e pequenos empreendedores ganham duas vezes mais que assalariados. Contudo, é importante levar em consideração as variações de rendimento, uma vez que no início do negócio o empreendedor tem ganhos mais baixos. Somente com passar do tempo e com o crescimento da empresa que esses ganhos irão superar os dos assalariados;
  5. Grandes recompensas vêm com mais riscos. De acordo com dados do SEBRAE, um em cada quatro negócios novos não sobrevivem aos primeiros dois anos. Diversas são as causas para que isso ocorra, dentre elas, falta de capital de giro, falta de gerenciamento, controle financeiro e etc. Enquanto nada, incluindo um dia de trabalho, for seguro, pequenos empreendedores devem estar preparados para lidar com uma renda variável. Para tanto, planejamento é fundamental para manter seu negócio funcionando sem problemas.

Não há garantias, assim como num trabalho assalariado, mas há meios de aumentar as chances de sucesso com empreendedor através de um plano de negócio cuidadoso.

Foi longo o post de hoje, não é? O que achou do Guia do Empreendedor até aqui?

Fique agora com a segunda parte, onde vamos falar sobre como transformar sua ideia em um plano de negócios