Aniversário Vindi: esse hexa já é nosso

No aniversário de 6 anos da Vindi, planejamos construir  um futuro com você. Aceita o presente?

O que você construiu nos últimos 6 anos?

Podemos apostar que, assim como a gente, a sua história é cheia de bons momentos, com aquela pitada de não tão bons, mas que serviram de aprendizado.

Então se liga só no que a gente vai fazer com você, para comemorar os nossos 6 anos de existência.

Ninguém disse que seria fácil

O mercado de empreendedorismo e marketing passou a se remodelar devido a crise e a evolução da internet, resultando em uma nova tendência: as agências com perfil de consultoria. À medida que o marketing das empresas passa a pautar suas estratégias em resultados, as agências que conciliam negócios e tecnologia com ideias criativas ganham cada vez mais espaço.

Há 6 anos, Karan Valente e Paul Marcel, acreditavam que faltavam agências com foco em resultado e que usassem o digital com perfil e metodologia de consultoria. Mesmo jovens, com pouca experiência e sem grandes investidores externos decidiram investir: foi quando nasceu a Vindi. A agência  de marketing que usa a Estratégia, o Digital e a Educação como seus pilares principais para educar e gerar negócios para os melhores clientes da Amazônia.

Na visão de Paul Marcel:

“ Empreender em um segmento tradicional (Agências) propondo e executando inovações em marketing e processos, principalmente ofertando mudanças em que parte dos clientes ainda não estão adaptados ou são resistentes, têm sido um desafio árduo durante toda a nossa jornada empreendedora. E eu sou grato a isso, pois não se faz um bom marinheiro preso ao porto e sim nas tempestades desse mar (ou riozão) chamado mercado. Aprendo e vou continuar aprendendo durante os próximos 6 anos e vamos nós, seguindo o farol vindiano em busca do estado da arte em marketing!”

Vamos seguir juntos?

E é para manter essa pegada mais focada em resultados, que estamos lançando uma ação especial este mês para premiar o empreendedor que conseguir nos convencer de que seu negócio é mesmo digno do Hexa.

A campanha “Aniversário Vindi! Esse hexa é nosso” irá premiar com 60 minutos de consultoria de marketing estratégico ou digital, via videoconferência, DE GRAÇA,  uma empresa que pode ser a sua.

Para participar, basta preencher o formulário na página especial da ação e nos convencer de que sua empresa é merecedora do prêmio.

O desafio é nos dar 6 bons motivos para que você seja o selecionado.

Todos os participantes do desafio irão ganhar um treinamento exclusivo via email.

Iremos divulgar o vencedor no dia 30 de abril

Está pronto? Clique no banner abaixo e participe!

Principais erros no processo de construção de personas

 

Construção de personas não é algo simples e exige muita dedicação. Erros nesta etapa de planejamento do seu inbound marketing são normais, não se assuste! Vamos aos 03 principais erros na construção de personas:

 

  1.        Criar personas demais

Pecar por querer quantidade e não qualidade. Quando você consegue construir uma persona de qualidade, com definição precisa, clara à todos, certamente seus conteúdos terão melhores resultados.

Evite desperdiçar esforços tentando agradar diversas personas – muitas dessas são irrelevantes para o seu empreendimento (lembra de Pareto ou do cliente ideal? Pois é…). Comece com uma ou duas e, no futuro, analise se é válido ter outras. Lembre-se que quanto mais personas  mais material específico você terá que produzir para atendê-las.

 

  1.   “Eu acho que”


A persona deve ser construída baseada em fatos e dados: assim ela terá qualidade. Se ela não foi construída assim, pare e a reformule – uma qualidade duvidosa aqui tende a gerar para a sua empresa muito mais problemas do que você imagina!

 

  1.   Perda de tempo com detalhes irrelevantes

A analogia é por aí, não dá para tocar violino com o barco afundando. Foque no mais urgente e que resolva o problema.

Se durante o processo de construção da persona começar a surgir discussões do tipo “qual é a cor dos olhos ou cabelo” e a sua empresa não é do segmento de lentes de contato ou estética, sinto muito, você já queimou algumas horas do seu dia.

Dê atenção para aquilo que é realmente relevante: detalhes pequenos e irrelevantes, apenas atrasam o processo. Mantenha o foco nas principais características, como por exemplo, qual problema nossa empresa resolve dessa persona.

 

Após atentar para esses 03 erros, certamente você conseguirá ter uma persona bem clara, excelente para que seu time de marketing de conteúdo consiga produzir os melhores materiais para atender de forma mais humanizada o indivíduo.

 

EXEMPLO DE PERSONA BEM CONSTRUÍDA

Nome: Marina Moreira

Sexo: feminino

Idade: 30 anos

Cargo: Funcionária pública

Empresa: Tribunal de Justiça Federal

História: Marina Moreira é funcionária pública federal, cargo que conseguiu através de dedicação diária, através de rotinas intensas de estudo. Marina prosseguiu com essa rotina de dedicação também com relação ao seu corpo e sua saúde, já que pratica com frequência atividades esportivas de longa duração e alta intensidade, e participa de eventos de triathlon.

Marina é adepta de alimentação saudável e de atividades esportivas coletivas e individuais. Marina pesquisa com frequência dicas de alimentação saudável e sobre como melhorar o seu rendimento nas atividades físicas e durante o seu dia a dia.

Principais objetivos: Manter a forma física, ser referência para as suas amigas e família, mostrar que é possível ser bem sucedida profissionalmente sem descuidar da saúde. Sente necessidade de estar numa comunidade de pessoas com o mesmo perfil e comportamento.

Desafios: Conciliar a sua agenda profissional, com os eventos ligados a manutenção da sua qualidade de vida e melhoria de rendimento, sem deixar de lado os eventos sociais e familiares. A persona busca otimizar o seu tempo através de novas soluções que lhe permitam ter uma melhor agenda diária que possibilite  conciliar todas essas atribuições.

Como uma academia de alto padrão pode ajudar: Ao buscar novas soluções para ter uma melhor eficiência em seus treinamentos e otimizar a sua agenda diária, a persona terá acesso a um leque de serviços (Hiit, crossfit, natação, corrida, bike, musculação, etc), além do suporte a nutrição esportiva. Treinos variados, intensos e de curta duração, que podem substituir horas de baixo rendimento, permitindo assim, mais tempo livre para outras atividades. Fornecendo um ambiente que reúna pessoas como ela, bem sucedidas e adeptas a esportes, dando senso de comunidade, com treinos direcionados para a melhoria de rendimento físico, além de eventos em grupo como corridas e bike de rua. A academia será como um centro de serviços esportivos para a melhoria de rendimento.

 

Agora que você já entendeu o que são personas, a importância de tê-las bem definidas para o sucesso da sua estratégia e como evitar os erros mais comuns desse processo, faça um Raio-X do marketing digital do seu negócio gratuitamente!

 

Clique no banner e experimente nossa ferramenta GRATUITA.

 

 

Trabalho e propósito!

Trabalho e propósito: descubra a sua motivação

O trabalho está presente na vida de muitas pessoas, mas e a motivação?

Qual o seu propósito?

Trabalho e propósito

Se perguntamos o propósito ou a motivação das pessoas irem trabalhar todos os dias, a resposta normalmente demora um pouco para sair (ou simplesmente não sai). Mas, por quê?

 

Começando o dia…

Segunda-feira, seis da manhã e o despertador no celular toca: “triiiiim, triiiiim”.

Você não quiser sair da cama, isso pode significar dois estados de ânimo:

1) você gostaria de dormir um pouco mais

2) a vontade é de não sair da cama.

Se foi o caso número 01, isso é sinal de cansaço. Se for o outro, isso é sinal de estresse. Se além disso for agravado pelo fato de você ainda não ver razão no o que faz, cuidado! Há uma diferença marcante entre esses dois casos.

Cansaço você resolve descansando, mas estresse, você só consegue evitar se compreender o motivo de fazer o que está fazendo. Se ainda houver dúvidas no segundo caso, sugiro algo: repense o que você está fazendo da sua vida!

Aos que não se encaixam no enquadramento feito no enunciado anterior (com o perdão a transcrição quase que na íntegra do capítulo “vida com propósito” do livro “Por que fazemos o que fazemos?”), encarem esse “textão” como uma reflexão de um gestor, líder, e, com orgulho, empreendedor nas terras do norte do Brasil.

Este post é indicado para quem quer realizar algo próprio. Para quem gosta do que faz, que quer criar ou participar de algo grande e ganhar dinheiro com isso!

 

Está em nossa natureza

Dois famosíssimos pensadores das ciências sociais, Karl Marx e Friederich Engels, tem uma visão sobre trabalho que eu particularmente gosto muito. Segundo eles, o trabalho forma a essência humana!

Diferentemente dos animais que se adaptam à natureza, os homens adaptam a natureza a si, agindo sobre ela e transformando-a. Ajustando-a às suas necessidades.

É exatamente esse agir sobre a natureza e moldando-a em função do o que precisamos, de forma coletiva (com interação dinâmica com outras pessoas) é o que os autores chamam de trabalho. O resultado dessa ação é o que somos, o que nos forma.

Para alguns, o trabalho é uma obrigação. Dentro do protestantismo, é inclusive uma obrigação moral (a lógica era de que se não trabalha, é vadio; se é vadio, é imoral). No sentido semântico, significa literalmente “tortura”, já que a palavra do latim “tripalium”, antigo instrumento de tortura romano…

Chegamos onde queria chegar:

O moderno conceito de “alienação”

Originalmente cunhado pelo filósofo alemão Hegel – se refere a tudo aquilo que eu produzo, mas não compreendo a razão. E o porquê dessa introdução? Por que em nossa organização (e acho que em quase todas do mundo) não temos robôs trabalhando: temos pessoas – palavrinha essa que vem tcheco “robota”, que significa escravo, aquele que faz o que lhe é ordenado.

Em extensão, “propósito”, em latim, carrega o significado de “aquilo que coloco adiante”, “o que estou buscando”.

Uma vida com um propósito é aquela em que eu entenda as razões pelas quais faço o que faço!

No mundo dos negócios, o termo “propósito no trabalho” está na moda e se tornou muito popular. Até pouco tempo atrás as pessoas só queriam um bom emprego, mas hoje, parece que é preciso um “algo a mais”, especialmente para a famosa geração Y: acreditar em algo, ser significativo, fazer a diferença, etc e etc.

Gosto muito da definição que o pessoal das Perestroika dá, no seu primoroso curso sobre Futurismo: “Propósito é o líder invisível da organização, é o sentido de fazer o que fazemos, é o porquê de fazermos o que fazemos”.

Motivação e empreendedorismo

Empresas que nascem com um propósito tem uma alma – e isso cria uma conexão verdadeira com o trabalho, com as pessoas e com o mercado e, sinceramente, acho que isso ajuda muito na caminhada empreendedora rumo ao êxito e, quiçá, ao sucesso!

Por traz de todo empreendimento, em tese, temos um empreendedor (se considerarmos o termo “empreendedorismo” no sentido de comportamento do indivíduo), mas será que todos têm um propósito também?

Se você ainda não tem um, ou ainda não o encontrou, relaxe: acho que 99% dos negócios do mundo não tem um – eles talvez tenham missões, visões, propostas de valor, mas não aquela paixão pelo o que faz e um desejo visceral de querer fazer do mundo um lugar melhor, ganhando dinheiro com isso.

E você? Já encontrou a sua paixão que o fará nunca mais precisar trabalhar no sentido literal da coisa? Se não, comece: o trabalho e a vida passarão a fazer mais sentido!

Ah, se você é um empreendedor, gostou desse post e gostaria de manter sua equipe motivada, indico a leitura desse nosso outro poste sobre como manter sua equipe motivada.

Sigamos!

 

Entenda a importância de fazer o registro de patentes

Se você teve uma ideia inovadora ou lançou um produto novo no mercado, nada mais justo do que ter os direitos sobre a exploração deles, certo? Só que essa proteção ao direito do inventor não é automática; ela só acontece com o registro de patentes. E não necessariamente a sua invenção se enquadrará nos critérios para consegui-la.

Quer entender como isso funciona e a qual importância para o seu negócio? Confira o nosso artigo!

O que é o registro de patentes?

É a proteção jurídica contra o uso e a cópia indevida de invenções e tecnologias que sejam novidade, atividade inventiva, ou seja, que não sejam decorrências óbvias para os técnicos da área.

Também é necessário que as invenções a patentear tenham aplicação industrial: sejam passíveis de utilizar ou produzir em qualquer tipo de indústria.

O que pode ser patenteado?

É possível patentear quase tudo que atender aos três critérios: 

Novidade

Para ser novidade, a invenção — seja ela um produto ou um processo — não deve ter sido divulgada publicamente até o depósito do pedido de patente junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

Atividade inventiva

Uma atividade inventiva não pode ser uma inferência óbvia para um técnico no assunto. Ou seja, não pode ser uma mera conclusão ou modificação de algo que já é conhecido.

Aplicação industrial

Por fim, para apresentar aplicação industrial, o produto ou processo deve ser suscetível de produção ou utilização na indústria.

Não podem se enquadrar nessas categorias:

  • teorias científicas e métodos matemáticos;
  • concepções abstratas;
  • esquemas e métodos comerciais, contábeis, financeiros, educativos etc;
  • obras literárias, arquitetônicas, artísticas e científicas;
  • programas de computador;
  • técnicas e métodos cirúrgicos;
  • métodos terapêuticos ou de diagnóstico;
  • substâncias e misturas de qualquer espécie, nem a modificação de suas propriedades físico-químicas.

Por que registrar sua patente?

O registro da patente assegura ao seu titular o direito de impedir que terceiros produzam, usem, vendam ou importem sua invenção sem sua autorização, sob pena de serem processados civil e criminalmente.

Por exemplo, você e seus amigos tiveram uma ideia super inovadora e decidiram criar uma startup para torná-la realidade. Largaram os antigos empregos e investiram no negócio, que agora está fazendo muito sucesso.

Imagine um outro grupo de amigos simplesmente se apropriar do produto de sua startup e começar outra empresa concorrente? Patentear o seu produto poderia evitar essa dor de cabeça e frustração.

Como funcionam as patentes?

São três tipos de patentes:

  • De invenção (PI), quando a criação candidata é atividade inventiva, novidade e tem aplicação industrial. A validade é de 20 anos a partir da data do depósito;
  • Certificado de Adição de Invenção (C), quando for realizado apenas um aperfeiçoamento ou um acréscimo a objeto de invenção já patenteada, mas com o objetivo de proteger o produto também com essa parte nova. Por ser somente tutela acessória à patente, sua validade é a data final de vigência da patente original;
  • De Modelo de Utilidade (MU), quando a invenção é um objeto de uso prático — ou parte de um — para aplicação industrial. Nesse caso, o objeto também deve obedecer aos requisitos de novidade e inventividade, além de suceder em melhoria funcional em seu uso. A validade é de 15 anos, a contar da data do depósito.

Para registrar qualquer uma delas, o processo é burocrático e minucioso, por isso o ideal é contar com uma consultoria especializada no assunto.

Mas, para começar todo o procedimento, primeiro procure saber se sua ideia já existe. É possível conferir, no site do Instituto Nacional de Propriedade Industrial, por meio do Sistema Eletrônico de Gestão da Propriedade Industrial (e-INPI) se ela já foi registrada anteriormente.

Os próximos passos são os mais delicados:

  • o preenchimento de um formulário com todos os detalhes de sua criação: 
    • a técnica utilizada;
    • os problemas que sua invenção resolve;
    • as suas reivindicações como inventor;
    • em alguns casos, os desenhos para a criação;
    • um resumo;
  • o depósito do pedido;
  • a solicitação de exame dele depois de 18 meses de sigilo;
  • e o pagamento da retribuição.

Está pronto para começar o processo de registro de patentes de suas criações? Se este artigo ajudou você, curta a nossa página no Facebook e acompanhe todos nossos conteúdos!

Estamos fechando!

Você já percebeu que o assunto é sério. Estamos falando sobre fechar as portas

Se você ainda não entendeu, dá uma olhada no seu calendário

E aí, já viu né? É 1° de Abril, o famoso dia da mentira ;)

Relaxa que isso está longe de ser um anúncio de falecimento.

Mas falando nisso, é preocupante o número crescente de empresas que estão fechando as portas. Será que você tem se preocupado com os fatores que podem afetar negativamente o seu negócio? O assunto merece a nossa atenção, principalmente com o atual cenário econômico do país.

De acordo com o IBGE, a cada dez empresas, seis não sobrevivem após cinco anos de atividade. Vamos falar sobre a taxa de mortalidade dos negócios.

É meus amigos, a regra é falir!

(mas dessa regra devemos manter distância)

 

VAMOS AOS MOTIVOS…

Mas por que tantas empresas fecham as portas? Os motivos são inúmeros e variam de acordo com diversos fatores, vou pontuar para você alguns dos principais motivos

 

Ideia é diferente de oportunidade

Atrás de uma oportunidade tem sempre uma ideia, mas nem toda ideia é necessariamente uma boa oportunidade

Pera, o que?

Vamos as diferenças

Uma ideia em si é estática e não possui valor em termos práticos, já uma oportunidade de mercado gera valor para o cliente, isso significa resolver um problema ou atender uma necessidade a qual ele está disposto a pagar. Isso gera a viabilização do negócio. Então uma das primeiras perguntas que o empreendedor deve fazer ao abrir uma empresa é: será que a minha ideia realmente atende uma real necessidade do mercado?

Confundir ideia com oportunidade é uma das grandes causas do insucesso. Para abrir um negócio, uma ideia deve encontrar-se com uma necessidade de consumo e um mercado disposto a comprar essa ideia. O empreendedor que conseguir visualizar e desenvolver estratégias para a sua ideia está preparando um terreno fértil para uma oportunidade, e nesse ponto uma visão diferenciada é indispensável.

Para saber mais sobre o assunto e garantir maior segurança na hora de colocar em prática a sua ideia acesse este link.

E não esqueça, a diferença entre ideia e oportunidade é a viabilidade!

 

Foco no plano de negócios

Ter uma ideia que possui relevância para os consumidores é incrível e digna de um visionário, mas o que deve ser feito a partir daí?

Qualquer atividade desempenhada sem um planejamento prévio estará à mercê do acaso, e se caso der certo é sorte. Mas no mundo empresarial contar com a sorte é um risco que não vale a pena.

Para introduzir de fato uma empresa no mercado é preciso saber de que forma esse produto ou serviço deve ser inserido, e elaborar um bom plano de negócios é essencial nesta etapa, assim é possível garantir um planejamento a longo prazo.

Um plano de negócios contém os objetivos empresariais e a descrição dos passos que devem ser dados para alcançar esses objetivos, permitindo assim minimizar os efeitos de ameaças do ambiente empresarial, facilitando a análise do cenário interno e externo do mercado.

É necessário criar cenários pessimistas, otimistas e realistas para que seja possível tomar decisões futuras com precisão e eficácia.

E para dar a devida importância ao assunto, separei outra matéria sobre planejamento estratégico para você, é só clicar aqui.

 

Estudar o mercado

É necessário conhecer o ambiente em que se deseja atuar! Qual é o segmento do negócio? Quais são as tendências nesta área? Como o público deste segmento se comporta? E a concorrência? Estas perguntas devem ser respondidas através de análises profundas e fundamentadas.

Engana-se quem acha que o mercado só se estuda uma vez. Manter-se atualizado é uma das chaves para o sucesso, afinal, a sociedade e a cultura são dinâmicas, e os consumidores precisam ser constantemente desvendados.

Muitos empreendedores desejam iniciar suas atividades sem conhecer o seu ramo, seus fornecedores, ou até mesmo quanto capital vão precisar para garantir o futuro do negócio, esses empresários estão colocando em risco o sucesso da sua empresa ao entrar “às cegas” em um ambiente de consumo.

Uma das ferramentas que pode ajudar a compreender as particularidades do mundo dos negócios a pesquisa de mercado. Ela possibilida o levantamento de questões importantes sobre o mercado e oferece uma visão mais ampla dos próximos passos que precisam ser dados para o desenvolvimento do negócio.

Para saber mais sobre este assunto, clique aqui.

Buscar novas possibilidades, adaptar-se as tendências do mundo do consumo é garantir espaço no mercado!

 

Como anda o seu comportamento empreendedor?

Outro ponto chave para uma gestão saudável e eficiente é o comportamento empreendedor. Possuir uma visão estratégica envolve a capacidade de analisar os processos de forma diferenciada, antecipando tendências e demandas e estabelecendo metas e objetivos a realidade do negócio.

Possuir uma empresa é assumir um compromisso pessoal e profissional, colaborando com os funcionários através de uma postura de liderança. Até por que um verdadeiro empreendedor não gerencia uma empresa de forma unilateral: saber ouvir e compreender a sua equipe é tão importante quanto conhecer o seu cliente.

Para saber mais especificamente sobre este tema importantíssimo, assista a nossa série de vídeos sobre características empreendedoras:

“O sucesso é a soma de pequenos esforços repetidos dia após dia” – Robert Collier

Você não precisa fazer parte das estatísticas

Apresentei a você um cenário que tende ao fracasso para a grande parte das empresas e motivos que as levam a essa situação. Lembra que eu disse que a regra é falir? Sim, é verdade, mas nós dois sabemos que você não precisa fazer parte das estatísticas.

Por isso, desenvolver uma visão crítica sobre os processos mercadológicos é importante. Mantenha-se atualizado, o ato de empreender é uma incessante procura por novas perspectivas e possibilidades, isso pode garantir a saúde do seu negócio.

Neste mês a Vindi está comemorando 5 anos no mercado! É com muito orgulho que podemos dizer que superamos aquela estatística do IBGE que apresentei no início da nossa conversa, mas o nosso trabalho não para por aqui, muito pelo contrário. Somos apaixonados pelo o que fazemos e por buscar sempre novos caminhos e olhares para o nosso negócio. Nos reinventar é o nosso negócio, esperamos que seja o seu também.

 

Marketing estratégico: ou faz assim ou está errado!

A Tesla é considerada uma das empresas mais inovadoras do mundo. Apesar de atuar em um mercado competitivo, o automobilístico, ela tem crescido como nenhuma outra. Seu segredo: investe aproximadamente 18% do orçamento no desenvolvimento de novos produtos.

Esse é apenas um dos vários exemplos de como a inovação em uma empresa pode tornar sua marca mais forte e desejada. Mas para isso é necessário vencer diversas barreiras internas e externas, como a falta de recursos, os concorrentes e o mercado em geral.

É aí que entra o poder do marketing estratégico.

Este conceito une as ideias de marketing e estratégia em uma única visão. Envolve planejamento e análise com uma visão de futuro, envolve também foco total nos desejos, necessidades e interesses dos clientes e consumidores finais para:

  • Adequar/segmentar sua oferta de produtos e serviços;
  • Adequar toda a sua estratégia de comunicação; e
  • Trabalhar o fluxo de informações da ponta do consumo à organização e da organização ao consumidor final.

E exemplos de inovação como o da Tesla são fruto de muitas horas de transpiração e aquela dose de inspiração. Afinal, inovação nos negócios precisa estar muito bem amarrada à sua estratégica de marketing.

Pensando nisso criamos um post especialmente para você. Continue lendo e veja quais são os desafios para tornar sua empresa mais inovadora e como fazer isso. Boa leitura!

 

Principais desafios para a inovação na empresa

 

É muito comum pensar em inovação como a criação de algo grande e disruptivo, mas nem sempre é assim. Algumas inovações são pequenas, feitas como um passo a passo para o sucesso – ou para se chegar no grande objetivo. Isso é chamado de inovação emergente.

 

Imagine o setor automobilístico. É quase impossível comparar um carro atual com um fabricado cinco décadas atrás. Ou seja, as mudanças não ocorreram do dia para a noite, elas foram feitas aos poucos, peça por peça.

 

Mesmo essas pequenas inovações enfrentam grandes barreiras para existir, desde problemas com recursos financeiros limitados até a falta de uma liderança realmente eficiente. Veja agora os principais problemas:

 

  • Falta de recursos para financiar novos projetos;
  • Dificuldade em encontrar líderes inspiradores;
  • Processos burocráticos;
  • Equipe pouco entusiasmada;
  • Falta de uma cultura de inovação;
  • Necessidade de retorno imediato.

Como garantir a inovação na empresa

 

Inovar é uma forma de melhorar a qualidade dos serviços e produtos existentes, otimizar a eficiência operacional, superar as expectativas do público-alvo, expandir o negócio e garantir uma marca mais sólida no mercado.

 

Mas, como fazer isso?

Mantenha o foco no ambiente externo

 

O mercado é grande e repleto de oportunidades, então, para quem deseja inovar, é preciso manter o foco nas necessidades que existem e precisam ser supridas. Uma ótima dica é buscar os nichos de mercado, pois neles a competitividade é menor.

 

Monitore os principais concorrentes

 

Os concorrentes são excelentes fontes de inspiração. Ao monitorá-los é possível avaliar o que pode ser aperfeiçoado em sua própria empresa. Para isso, é importante definir e acompanhar alguns indicadores-chave de desempenho.

Acompanhe as categorias adjacentes

 

Essas são empresas que podem competir com seu negócio em algum momento, mas não são necessariamente concorrentes. Imagine uma cafeteria e uma loja de energéticos: são coisas completamente diferentes, mas um cliente poderia deixar de tomar um café para tomar um energético. Isso é uma categoria adjacente ou uma concorrência indireta. Acompanhe-as e tenha muitos insights.

Crie um time inovador

 

As pessoas são um importante elemento para a inovação nos negócios, então é importante incentivar os funcionários a “pensar fora da caixa”. Para isso, marque reuniões de brainstorming, implemente caixas de sugestões e melhore a comunicação interna.

Busque consultorias externas

 

Os consultores são especialistas em uma área e possuem todo o know-how necessário para implementar eventuais mudanças na empresa. Então é importante buscar especialistas nas áreas de maior deficiência ou dificuldade de mudança, para auxiliar esse processo.

Reserve um orçamento específico para projetos inovadores

 

Inovar envolve diversos custos, seja com o monitoramento de concorrentes, construção de equipes ou contratação de especialistas. O retorno da inovação será de médio ou longo prazo, então reserve um orçamento específico para isso.

 

Nenhuma empresa deve pensar apenas no hoje, mas também gerenciar seus diversos recursos pensando no amanhã, por isso, inovar é uma necessidade básica.

 

Agora que já conhece os principais desafios da inovação na empresa e como fazer isso, aproveite para compartilhar suas dúvidas e experiências sobre o assunto. Deixe seu comentário em nosso post!

 

Que tal aproveitar a leitura e entender mais sobre Funil de Vendas e descobrir como transformar visitantes de um site em clientes?