Posts

3 dicas sobre vídeos ao vivo para pequenos negócios

Você quer gerar mais engajamento em seu negócio?

Diariamente, startups e pequenas empresas estão usando a transmissão ao vivo de vídeos para se conectar com seus clientes de uma forma bem pessoal. E isso é louco!

No artigo de hoje, você vai descobrir três formas bem simples de como usar esse recurso de vídeos ao vivo na divulgação de seus produtos e serviços.

Mas afinal, Diego. Por que eu deveria usar vídeos?

O vídeo é a nova foto e as pessoas estão famintas para consumir vídeos nas redes sociais. Você já reparou, por exemplo, que fanpages como Esporte Interativo, o UOL e até o GNT sempre estão realizando transmissões ao vivo? E, caso você ainda não tenha visto, geralmente não envolve muita pirotécnia tecnológica; um celular com boa resolução e uma boa pauta são o suficiente.

Legal, e agora?

Com essas dicas orgânicas, você pode formar um plano de marketing de vídeo ao vivo que vai fazer com que seus clientes voltam sempre.

#1: Mostre como seu produto é feito

As redes sociais nos dão várias ferramentas para mostrar o quanto seu negócio é original, então por que você ainda usa as mesmas técnicas do passado?

John Kapos, mais conhecido como Johnny Chocolate, dono da Perfection Chocolates na Austrália usa o Periscope para transmitir o processo de produção do chocolate, e respondendo a perguntas dos telespectadores. E sempre pinta  uma galera que loga para realizar pedidos de seus biscoitos. Louco, né? O legal do Periscope é que você pode convidar pessoas de todo o mundo para te assistirem.

chocolate-johnny-periscope

Ferramentas como o vídeo ao vivo permitem integrar seu social marketing  diretamente ao seu dia-a-dia. Se você está tentando gerar buzz sobre o sua padaria, por exemplo, você pode seguir o velho ditado de “Matar a cobra e mostrar o pau”.

Donos de padaria podem usar o Facebook ao vivo com o Periscope para transmitir o momento mágico da decoração de um bolo de casamento, por exemplo. Corretores de imóveis podem usar essas ferramentas para fazer um passeio íntimo de uma nova propriedade. As possibilidades são quase infinitas.

magnolia-bakery-facebook-live

Isso pode humanizar o seu negócio. Não seja apenas uma marca sem rosto, ignorado em uma plataforma onde as pessoas estão mais do que dispostos a conversar.

O consumidor 2.0 (aquele que usa o meio digital para aprender mais sobre marcas, produtos e serviços) quer estar mais em contato com sua marca, quer ir além de saber seu nome e número de telefone.

Se você não quer mostrar o lado humano da sua empresa, tudo bem. Mas lembre-se que seus concorrentes possuem a mesma oportunidade midiática que você. Através de vídeo ao vivo, você pode promover uma conexão mais profunda com os seus clientes, que podem conhecer o plano de fundo de seus produtos.

#2: Lance novos produtos e concursos

As imagens são uma ótima maneira de anunciar um produto novo. Mas o vídeo é melhor ainda. O uso de transmissão ao vivo pode ser o ás na manga, se você está tentando gerar buzz para o lançamento de seu produto.

chevy-facebook-live

O Doritos usou o Periscope para gerar buzz  sobre um novo sabor de batatas fritas de pacote chamado Roulette. Os fãs foram escolhidos aleatoriamente para experimentar o novo produto no Periscope e partilhar as suas reações com o mundo, gerando uma enorme boca-a-boca sobre a nova oferta.

doritos-periscope

A marca Pufferbellies Brinquedos e Livros intantis, dos EUA usa Facebook  Live para mostrar livros e novos produtos. Por exemplo, o vídeo “unboxing” abaixo, que foi publicado por volta da Páscoa, gerou cerca de 2.500 visualizações e teve comentários de clientes em potencial. Estes são os tipos de ligações que pequenas empresas costumam pagar para obter

Erin Blanton, co-proprietária da Pufferbellies, diz que os vídeos ao vivo ajudam a loja de alcançar mais clientes. Ela acrescentou que “definitivamente” aumentou as vendas com o uso do Facebook Live.

Bem legal, né? Viu como não precisa de muito material?

#3: Leve seus espectadores até seu local

O  estúdio de fotografia Faces frameable é um exemplo bem legal de como usar o Periscope. Os proprietários Ally e Doug Cohen usar o add para conversar com pessoas de todo o mundo e mostrar o seu estúdio.

frameable-faces-periscope-1

Eles também sabem que a consistência é a chave em vídeo ao vivo e têm um cronograma definido de transmissões, de modo que seus seguidores já se preparam para os futuros shows.

Eles estão conquistando muitos seguidores. Partindo do zero, o Faces Frameable cresce a cada dia. Após conquistarem um espaço na lista de “trending topics”, sua base de seguidores explodiu para 20.000. Doug atribuiu o sucesso a sua estratégia no Periscope e o fato de não ter medo de se envolver com os telespectadores.

Conclusão

Com o crescimento da internet e a penetração dos dispositivos móveis, o consumo de vídeo tende a aumentar naturalmente.

O uso de transmissões ao vivo em redes sociais vem como uma tática original, dinâmica e super divertida de uma empresa em estágio de lançamento e até de crescimento.

Minha opinião: bote a cara no sol! Ser visto é o primeiro passo para que você ganhe mercado e seja percebido como alguém que pode resolver as dores de seus clientes.

Com informações do Social Media Examiner

Dicas de finanças para pequenas empresas

Olá mochileiro, tudo bem?

Já está pronto para continuarmos em nossa jornada rumo ao sucesso? Hoje estamos trazendo mais um capítulo do nosso Guia do Empreendedor das Galáxias. Desta vez, o assunto é finanças: vamos lá?

Lembrando que é NECESSÁRIO que você já tenha lido os capítulos 1, 2, 3 e 4

Sem as finanças previamente definidas, sua empresa poderá nem sair do papel! Vamos mergulhar mais fundo para descobrir quanto dinheiro precisará e como obtê-lo.

De quanto você precisa para começar a empreender?

Primeiro você precisa determinar o custo inicial. Quanto você precisará para tirar seu negócio do papel? Faça uma lista de todas as despesas para os primeiros seis meses. Algumas serão continuas, tais como de estoque e o pagamento de aluguel, outras serão custos mensais, como a compra de um equipamento.

Depois de ter feito a lista, decida quais das despesas são essenciais e quais são opcionais. Corte as opcionais do orçamento. Você poderá comprar algo desse item depois, uma vez que seu negócio está dando retorno.

Finalmente, ao lado das despesas essenciais, anote se cada uma delas é fixa ou variável. As fixas significam que os valores podem mudar num futuro próximo, como a do aluguel. Já as variáveis significam que a despesa/custo pode aumentar num mês e baixar em outro, como as de estoque (especialmente se você tiver uma temporada de mais trabalho) e os custos de transporte (são determinados pela quantidade de itens que vender).

Como você obterá o capital?

Se precisar de empréstimo para começar sua empresa, você terá que reunir os seguintes documentos – é importante notar que uma instituição financeira pode solicitar documentação diferente de outra:

  • Informações pessoais básicas, tais como endereços anteriores, nome, antecedentes criminais e escolaridade;
  • Currículo atualizado;
  • Plano de negócio;
  • Relatório de crédito pessoal (o credor terá um, mas é importante ter um para corrigir possíveis erros do relatório);
  • Relatório de crédito do negócio (se já tiver um);
  • Imposto de renda pessoal e da empresa dos últimos três anos;
  • Demonstração financeira (se você for dono de mais de 20% das participações da empresa);
  • Demonstração bancária anual pessoal e da empresa;
  • Garantias (alguns programas de empréstimo não exigem garantias);
  • Documentos legais, quando solicitado, tais como licença e registro da empresa, contrato social, cópias de todos os contratos com terceiros, franquias e arrendamentos comerciais.

Crédito Pessoal e Crédito Empresarial

Muitas pessoas não compreendem que crédito pessoal e credito empresarial estão intimamente ligados. Sem um histórico de crédito empresarial estabelecido, credores terão que usar o seu crédito pessoal para determinar se emprestam ou não dinheiro a você. Avaliando sua atual situação financeira, mais fácil será disponibilizado um plano de crédito e melhores serão as chances do seu crédito ser aprovado.

Além disso, percebemos que muitas pessoas têm seu pedido de empréstimo para pequenas empresas recusado logo na primeira tentativa. Há diversas razões para que isso ocorra, então examinamos alguns casos para ajudá-lo a aumentar as chances de ter seu empréstimo aprovado.

Razão 1: Propósito Inconsistente para Solicitação de Crédito

Credores querem saber se você tem uma boa razão para pedir dinheiro emprestado. Por isso é crucial ter um plano de negócio que mostre que seu negócio atenderá a uma necessidade, que há mercado para seu produto ou serviço e que você pegará dinheiro emprestado para cobrir apenas as despesas essenciais.

Lembre-se, quanto menos dinheiro você pedir, maiores serão as chances de ter seu crédito aprovado. Se seu empréstimo for recusado porque o credor acha que você possui propósitos inconsistentes, terá que cortar gastos ainda mais ou terá que trabalhar duro para provar que sua ideia de negócio será rentável.

Razão 2: Erros no Relatório de Crédito do Requerente

Os credores muitas vezes exigem uma garantia pessoal do devedor em caso de inadimplência. Isso significa que o seu histórico de crédito pessoal irá ajudar a determinar se o empréstimo está concedido ou não, especialmente para novos empreendedores que não tem uma linha de crédito empresarial para mostrar.

Todos os credores realizam uma verificação de crédito de um requerente, portanto, é importante revisar seu relatório antes de submetê-lo ao empréstimo. Você recebe um relatório de crédito todos os anos, mas para caso não tenha recebido verifique nas três agências de crédito.

Revise seu relatório de crédito para ter certeza de que está tudo bem detalhado. A Motle Fool dá alguns conselhos de como analisar os erros:

“Existe dois tipos de erros no relatório de crédito – as informações estão completamente imprecisas ou machucadas, de forma que refletem o erro do seu caminho. Os erros mais comuns podem incluir contas erroneamente atribuídas a você, aviso de aplicações não preenchidas e endereço residencial ou informações de emprego desatualizadas. Podem conter também omissões, tais como presença de alguma inadimplência que já tenha sanado, ou ainda ações de cobrança antigas que estão sendo declarada como vencidas. Outro tipo são as trazidas por você mesmo. Não tem como negar uma auto infração com cicatrizes no seu relatório de crédito (embora você tente, e possa ter êxito se pegá-lo numa agência em um bom dia).”

Atenção! Quando você for contestar um erro no seu relatório de crédito, tanto a empresa de relatório de crédito quanto à fornecedora das informações (a empresa que forneceu as informações para a agência de crédito) tem que se responsabilizar pela correção das informações imprecisas ou incorretas.

Por hoje é só. Anote tudo e prepare-se que ainda tem mais conteúdo sobre finanças para pequenas empresas vindo aí.

Até lá!

 

O que o marketing digital pode fazer pela sua empresa offline

Não faz muito tempo que nos deparamos, aqui na Vindi, com uma pergunta que eu considero interessante por na pauta aqui neste blog: Porque eu deveria usar o marketing digital se meu negócio é local e offline?

Começo aqui fazendo um adendo. Particularmente eu não gosto de separar as coisas. Você, leitor, quando está na praça, no shopping ou em casa, sem nada para fazer, usa o as redes sociais, checa seu e-mail ou usa o What’s app? E quando está focando em seu trabalho no computador, ouve rádio, televisão ou até conversa com alguém que esteja próximo?

Vou considerar que você tenha respondido sim às duas perguntas do parágrafo acima, afinal estamos em 2015 e né… não dá mais para fazer distinção do que é online e o que é offline.

Aliás, lembrei de um texto sensacional de uma das maiores referências em Marketing Digital do Brasil, se você tiver um tempinho, leia “Cibridismo: ON e OFF line ao mesmo tempo“, de Martha Gabriel.

E é com essa linha de raciocínio que hoje quero conversar com você sobre a resposta para a pergunta do início deste post. Destrinchei a resposta em três etapas para ficar mais simples de explicar e por que adoramos lista, não é verdade? Vamos lá:

    1. A luta do empreendedor de pequena empresa local para alcançar seu público alvo

      Uma loja ou restaurante local quando inicia sua comunicação para captar clientes tem seu alcance limitado por questões óbvias: Espaço: Não há panfletagem que consiga cruzar um bairro inteiro;
      Horário: Seus clientes não estão disponíveis 24h por dia para receber suas promoções e ofertas, como na internet;
      Métricas:
      Muito legal aquela ação de outdoor, mas quantas pessoas viram? Destas, quantas são o seu público alvo de verdade? Anúncios em plataformas como o Facebook e o Google te permitem selecionar características como cidade, sexo, escolaridade, horário e até se a pessoa que verá seu anúncio torce pro Remo ou Paysandu.

    2. Mas por que se preocupar?
      Não quero parecer cruel, mas isso é apenas a forma como o mundo está se movendo, certo? Quero dizer, eventualmente, tudo vai ficar on-line. E o que eu não posso comprar on-line (como um tomate fresco, por exemplo) está disponível na Yamada. Vamos apenas nos acostumar com isso.Bem, não, também não é por aí.Olha só, se a tendência mesmo é tudo virar on-line ou franquias de grandes marcas  não haveria mais lojas locais ou restaurantes disponíveis, a economia local estaria sujeita ao fracasso e, essencialmente, quebraria. Lembro que estamos aqui para fortalecer que o ideal é que seu negócio local utilize o marketing completo, com ações off e on line.

      Então, voltemos.

      O fato é que queremos e precisamos que a nossa economia local seja forte e saudável, porque – entre muitas outras grandes razões – ela gera emprego e renda de uma forma edificante, como você pode conferir no movimento “Compre do pequeno“.


    3. Então o que devo fazer?
      Pegando carona no texto da Martha ninja Gabriel…

      “E como aproveitar as oportunidades que essa nova dimensão do ser humano traz para o marketing? Com a estratégia mais antiga e simples possível — causando boas experiências, independente de serem ON ou OFF, em cada momento.  No entanto, para que isso aconteça, existe uma palavra mágica: integração! Integração de plataformas, tecnologias, estratégias, conceitos, áreas, pessoas, tudo! Na minha opinião, esse é o maior desafio daqui pra frente.”

      Convido você, empreendedor local, a pensar em como criar uma experiência que seja atraente para o seu público alvo e que traga bons resultados para o seu negócio.

      O planejamento estratégico de sua empresa deve ter em mente que ON e OFF andam juntos, conta uma história que comece no menu do seu restaurante e termine na sua página no Facebook, crie cupons de desconto e mande por e-mail para seus clientes na hora do almoço. Faça mais do que sua concorrência, sempre. Inove pense nos hábitos do seu cliente, o que gosta, o que não gosta, que horas está mais propenso a comprar, qual nível de escolaridade etc.

      Inovação é mais uma questão de criatividade do que de investimento financeiro. Vamos pensar juntos? Clique aqui para marcarmos um cafezinho ou uma cervejinha para falar sobre como o marketing digital pode ajudar você.