Posts

[EP07] ÉGUA DO CAST – Como Fazer Trade Marketing

Você sabe o que é trade marketing? O termo se refere às práticas planejadas e executadas pela indústria com o objetivo aumentar as vendas e otimizar a atuação dos canais de distribuição.

Nesse Égua do Cast recebemos o especialista em trade marketing Rafael Oliveira.

Nesse programa, foi possível discutir sobre o que é trade marketing, boas e más práticas, como implementar, como selecionar empresas parceiras para desenvolver as ações e, por fim, exemplos compartilhados.

Então fica o convite, te senta ai e te apruma.

Quem conduziu o bate papo, foi eu, Paul Marcel, artilheiro e goleador da Arena VINDI e sócio dessa agência Vindi, a agência que mais cresce no 12º andar do Urbe Office, no coração da praça Batista Campos, Belém-PA.

  1. Égua da Onda : notícias comentadas no episódio
    1. Schweppes cria vestido que grava assédio contra mulheres em festas – http://bit.ly/vindi-edc29

  1.  Égua da Dica
    1.  Paul
      1. Clube do Trade – http://bit.ly/vindi-edc33

  1. Égua do Som
    1. Música de hoje: Fruto Sensual – Príncipe Negro é um Show

OUÇA O ÉGUA DO CAST SOBRE

TRADE MARKETING

[EP06] ÉGUA DO CAST – Marketing de Permissão x Marketing de Interrupção

Você sabe o que é marketing de interrupção? E de marketing de permissão? Não sabe? Ih rapaz. . . nem te conto, todos os dias você é afetado por ele.

Nesse Égua do Cast recebemos o especialista de marketing digital Diego Santos, ele que também é cantor de chuveiro nas horas vagas e sócio do recanto do boleiro, a Arena Vindi.

Nesse programa, foi possível discutir as vantagens e desvantagens de cada prática e algumas dicas de como você pode começar.

Então fica o convite, te senta ai e te apruma.

 

Quem conduziu o bate papo, foi eu, Paul Marcel, artilheiro e goleador da Arena VINDI e sócio dessa agência Vindi, a agência que mais cresce no 12º andar do Urbe Office, no coração da praça Batista Campos, Belém-PA.

  1. Égua da Onda : notícias comentadas no episódio
    1. Carrefour lança “drive thru” de compras online – http://bit.ly/vindi-edc25
    2. Google Assistant making a phone call sounds completely human. But it’s software – http://bit.ly/vindi-edc26
  1.  Égua da Dica
    1.  Paul
      1. Aplicativo VAH – http://www.appvah.com/
    2. Diego
      1. Dica do Instagram – Emoji
  1. Égua do Som
    1. Música de hoje: Roberto Villar- Ator Principal

 

 

OUÇA O ÉGUA DO CAST SOBRE MARKETING DE RELACIONAMENTO

[EP04] ÉGUA DO CAST – Esse tal de Marketing de Relacionamento é para a minha empresa?

Bora ali, falar sobre Marketing de Relacionamento? Mais rápido que o Guajará Ver-o-Peso, mais forte que o guaraná natural da Praça Brasil e mais bonito que o Parque do Utinga: este é o seu, o nosso, o da galera Égua do Cast, em sua quarta edição.

Nesse Égua do Cast recebemos o especialista em marketing e tocador de violão nos finais de Semana, Caio Fanha. Falamos sobre Marketing de Relacionamento e da importância para as empresas. Se passa por sua cabeça as seguintes perguntas:

  1. O que é marketing de relacionamento?
  2. Quais são os reais benefícios do marketing de relacionamento?
  3. O que é CRM e para que serve?
  4. Principais ferramentas de CRM?
  5. Quando aplicar o marketing de relacionamento aliado a um bom CRM?
  6. Quais são então as dicas finais para quem quer começar?

Então esse podcast tem o seu número. Senta ai e te apruma!

Quem conduziu o bate papo: eu, Paul Marcel, artilheiro e goleador na Arena VINDI e sócio da Agência de Marketing Vindi, a qual criou e edita esse podcast.

Égua da Onda : notícias comentadas no episódio

  1. Nubank envia Pikachu para cliente que pediu desbloqueio de cartão e do Pokémon Go – http://bit.ly/vindi-edc18
  2. Ação do Nubank surpreende após avó de cliente jogar cartão no lixo- http://bit.ly/vindi-edc19
  1. Égua da Dica
    1. Paul:
      1. Dica de leitura – Oportunidades Disfarçadas – Carlos Domingos – http://bit.ly/vindi-edc20
    2. Caio
      1. Dica de leitura – Marketing 4.0 – do Tradicional ao Digital – http://bit.ly/vindi-edc21
    3. Égua do Som
        1. Música de hojeBanda Warilou – Warilou

OUÇA O ÉGUA DO CAST SOBRE MARKETING DE RELACIONAMENTO

 

[EP03] ÉGUA DO CAST – Marketing e as Vendas 4.0

Rápido como aquela chuva que cai, na hora em que vamos sair para trabalhar, chegamos ao terceiro episódio do Égua do Cast. Dessa vez o papo é sobre marketing e vendas 4.0.

Nesse Égua do Cast, nosso produto agroproduto comunicacional digital da floresta, criado e editado pela Agência de Marketing
– VINDI – a maior agência de marketing do 12º andar do Ed. Urbe Office – Belém Pará = ] , falamos sobre da importância do
Marketing ser integrado as Vendas, bem como a venda tradicional evoluiu para a Vendas 4.0. Falamos sobre diversos termos que
se você ainda não escutou ou não sabe como fazer, só te digo uma coisa, tu estais deixando dinheiro na mesa!

Quer ver? Jáouviste falar de Spin Selling? Outbound? Cold Call? Inside Sales? Não? Iiiiiiiiiiih rapaz, nem te conto.

A pauta foi discutida com o empreendedor Antônio Correa, que você pode falar pelo facebook ou instagram .
Se após escutar (ou ver gravado no youtube) o podcast você curtir, nós pedimos que você indique para um amigo.
Sem delongas, escuta ai doutor(a) e te apruma!

 

Tópico/Noticias citadas durante a transmissão na “Égua da Onda”

 

 Égua da Dica

  • Paul Marcel:
    Dica de leitura – Alcançando Excelência em Vendas Spin Selling. Construindo Relacionamentos de
    Alto Valor Para Seus Clientes – Neil Rackham –
    http://bit.ly/vindi-edc13
  •  Antônio Corrêa:
    Dica de Podcast – Resumo Cast – http://bit.ly/vindi-edc17

Égua do Som

    • Música de hoje: Lorinha – Banda Calypso:

OUÇA O ÉGUA DO CAST SOBRE MARKETING E VENDAS 4.0

Deus Salve o Rei e Estratégia de Marketing

Eis que no início desse primeiro mês de 2018, a poderosa Globo investiu pesado e lançou sua nova novela ambientada na era medieval: Deus Salve o Rei!

 

A nova atração das 19h – horário nobre da emissora e sempre marcado pelas produções com um tom mais para o lado do humor e/ou para a experimentação, embarca em um ensaio repleto de inovações, temas atuais e uma inevitável comparação com séries como “Game of Thrones” e “Vikings” – mas pode ficar tranquilo: a Vindi não virou analista das produções da telinha – hoje vamos fazer um paralelo entre a nova novela e o que ela pode nos ensinar sobre estratégia de marketing, especialmente balizados pelo o que nos ensina Sun Tzu em seu famoso, brilhante e recomendadíssimo livro “A arte da guerra” – o qual apesar de, contam, ter sido escrito lá no ano de 500 a.C. (em tiras de bambu), ainda hoje nos serve de ensinamento paras o que fazer na “guerra do mercado”.  Vamos lá?

O que aprendemos sobre Estratégia de Marketing com Deus Salve o Rei

 

De cara e contextualizando, a trama da novela se passa em dois reinos: Montemor e Artena. Montemor tem muito minério, mas não tem água. Artena tem, mas não tem minério. A permuta entre estes recursos vitais sempre foi justa e equivalente até que começam as “tretas”, como em toda novela… Aí recomendo que você assista e leia os avisos abaixo:

 

Primeiro aviso: temáticas como briga de tronos, amores proibidos, ambições, atos de loucura e outras coisas de praxe nesse tipo de trama não vão aparecer aqui como spoilers ou como fruto da nossa dissertação nesse texto.

 

Segundo aviso: guerra, administração e gestão, sim, vão aparecer! A Arte da Guerra nos oferece lições fundamentais de estratégia, aqui simplificada e entendida como “fazer as coisas corretamente”. Para sermos mais objetivos, aqui fazemos o paralelo com os assuntos “recursos” (sempre limitados), “análise do ambiente” (marketing atuação no mercado, um ambiente incontrolável por definição, então, que tal analisá-lo primeiramente?) e “forças contra fraquezas” (lembrou dos famosos termos “vantagem competitiva” e “diferencial”?).

Sobre recursos: água e minério para ilustrar. Escassez/abundância e vice-versa para cada reino apresentado na trama. Sun Tzu escreveu:

“Um exército composto de cem mil homens só pode ser recrutado quando este dinheiro está disponível”.

É estupidamente comum ouvirmos relatos de empreendedores que reclamam de “tempos difíceis/crise” ou que estão à beira da falência, mas a reclamação é quase sempre a mesma “ficamos sem dinheiro”.

A verdade é que o problema geralmente está na capacidade operacional insuficiente, produtos ou serviços errados para determinado mercado e público, ou em uma infinidade de outros recursos geridos e aplicados de formada inadequada, mas que são fundamentais para tornar uma empresa bem-sucedida. Gerard Michaelson nos diz que:

“Para alcançar o sucesso, você precisa ter superioridade – o problema é que ela é sempre relativa”.

 

A pergunta retórica e chave então é essa: qual é o limite de recursos que podem ser alocados? Se você está realmente determinado a vencer, não há um limite máximo, no entanto, isso não quer dizer que você possa desperdiça-los de forma imprudente.

 

Falando sobre a análise do ambiente, quando a rainha Crisélia morre e nossa querida representante do casal do hexa, Bruna Marquezine (#BruMar), decide na trama botar em prática os seus planos expansionistas e acabar com a paz entre os dois reinos da novela, isso nos brinda o primeiro “P” que todo composto de marketing deveria ser iniciado: Pesquisa.

Sun Tzu nos disse “o soberano que prestar atenção nos meus estratagemas e analisar os lados antagonistas, com certeza vencerá a guerra, e eu, por esse motivo, ficarei ao seu lado”.

São 04 fatores que devem ser analisados segundo ele – já que uma boa avaliação desses elementos é a base para uma operação bem-sucedida. Veja só quais são:

  1. Influência moral, aqui podendo ser entendido como a “missão”, ou seja, a força da crença de lutar por algo e com compromisso;
  2. A temperatura, equiparada às “forças exteriores”, ou seja, fatores econômicos, sociais, culturais, políticos, tecnológicos e vários outros, obviamente, incontroláveis por nós;
  3. O terreno: essa é fácil – o mercado. Assim como o general precisa conhecer o terreno, a estratégia precisa considerar o cenário da ação – pessoas, praça, produto, promoção, preço, etc.;
  4. O comandante, ou no paralelo para o mundo dos negócios, a força e comportamentos do líder/gestor – os nomes mudam ao longo do tempo, mas os princípios da liderança continuam os mesmos (e pauta para um futuro texto…)

Quase finalizando, forças contra fraquezas – sempre! Se Artena e Montemor fossem duas empresas que disputam o mesmo mercado (praça, clientes, produtos similares, etc.), como poderiam usar seus recursos disponíveis e a análise feita um do outro para achar uma estratégia e uma vantagem na competição? Novamente, “tio Sun Tzu”,  nos brinda:

 

“Quando você tiver dez vezes a força do inimigo, cerque-o. Quando tiver cinco vezes a sua força, ataque-o. Se você tiver o dobro da sua força, combata-o. Se estiver em condições iguais, seja capaz de dividi-lo. Se estiver inferiorizado, seja capaz de se defender. E se estiver, de alguma maneira, numa posição desfavorável, seja capaz de evitá-lo.”

 

Parece lógico né, mas na vida real e no mercado é exatamente assim, e até pior: “um pelotão mais fraco acabará se rendendo a um mais forte se simplesmente ficar estático e fizer uma defesa desesperada”.

Repare na frase de alerta e lembre-se: a sugestão é ter sempre mobilidade e flexibilidade, estando pronto para a retirada, quando em desvantagem. Perder a batalha não significa perder a guerra. A questão não é de números brutos; a superioridade pode ser alcançada de várias maneiras nos negócios: elementos de marketing como preço, promoção, produto superior, posicionamento e diversas outras táticas.

É vital para qualquer estratégia de marketing (e de guerra…) bem sucedida, conhecer as virtudes e fraquezas do nosso adversário para que possamos calcular onde o nosso ataque se concentrará. Subestime o oponente e os resultados serão desastrosos. Será que Afonso, Amália, Rodolfo e Augusto (prometemos, sem spoiler) sabem disso? Cenas para os próximos capítulos…

 

E aí, o que achou do nosso artigo? Não se esqueça de usar o campo de comentários abaixo para continuarmos a conversa, beleza?

 

Até a próxima!

Como fazer de 2018 o 2017 que deu certo no marketing?

Época de fim de ano é sempre cheio de risos, confraternizações e deixar tudo para o ano que vem… será mesmo?

Vamos falar a verdade, você empresário, empreendedor, autônomo, estudante e afins, deve ter passado o ano todo assistindo palestras, webinários, lendo e-books e acompanhando as vídeo-selfies da Ana Tex sobre marketing para Whatsapp com uma única certeza:

 

ESSE ANO EU VOU DOMINAR O MARKETING DIGITAL

 

Certeza que o seu HD externo, Dropbox ou Google Drive devem te dar todos os recursos para isso, não é?

 

Você é do tipo que não espera a resposta cair no colo, vai atrás, estuda e planeja como vai fazer para usar a maravilhosa internet a seu favor.

Acertei?

Sim?

Eu sei, e sabe por que?  Porque eu já fui igual a você e também porque você é uma das personas que a Vindi tem como possíveis clientes. Agora me deixa dizer uma verdade inconveniente.

O ANO ESTÁ ACABANDO E VOCÊ NÃO CONSEGUIU…

 

Não conseguiu (A) Operacionalizar suas estratégias de marketing digital corretamente ou (B) Escolher o melhor caminho para transformar internautas em clientes.

 

Acertei novamente, não é mesmo?

 

Acredite, não estou dizendo tudo isso por desconfiar da sua capacidade, nobre ~e possivelmente ávido por me xingar~ leitor. Digo isso com o mais triste sentimento e identificação com a causa.

cliente

 

Vamos aos fatos!

 

O mercado não anda muito bem das pernas, arrisco dizer que é uma verdadeira guerra administrar uma empresa, cuidar dos funcionários, pensar no caixa e ainda lembrar que sem marketing digital sua vida empresarial tende a ser reduzida, e não sou eu quem estou falando isso, não. Olha aí:

“Há 10 anos a efetividade do marketing era dependente do peso da sua carteira. Hoje, a efetividade do marketing é dependente do tamanho do seu cérebro” – Brian Halligan, cofundador e CEO da Hubspot

 

Estamos a poucos dias das festas de fim de ano, mas já é tempo de você começar a planejar as ações que a sua empresa irá colocar em prática quando 2018 chegar. O Natal, o Réveillon e as férias vêm aí e é bom que as estratégias comecem a ser elaboradas desde agora.

 

Você já começou a pensar nisso?

Pois deveria. Deixar tudo para a última hora pode prejudicá-lo.

Pois é, vamos usar então mais o cérebro e menos a carteira para fazer de 2018, o 2017 que deu certo?

 

Uma pesquisa realizada pelo Boston Consulting Group (BCG) revelou que mais de 70% dos internautas usam buscadores, redes sociais e sites para pesquisar, descobrir e comparar produtos, empresas e serviços.

 

Ainda sobre a pesquisa, o impacto da internet é maior na fase de pré-compra. Descobrir, pesquisar e localizar marcas, produtos, serviços e lojas online já representa de 60% a 70% das pesquisas em sites, redes sociais e buscadores como o Google. Os canais online, como o Facebook e WhatsApp, também são amplamente utilizados pelo consumidores brasileiro para expressar as opiniões de pós-compra, tanto as positivas quanto as negativas (70%).

 

Portanto, seja você uma grande rede varejista ou uma tímida loja virtual, é imprescindível investir na sua campanha de marketing digital em 2018 a fim de alavancar sua influência online. Então aqui vão 4 dicas sobre como usar as mídias sociais para encantar seus potenciais consumidores.

[VINDI LIVES] #1 Seu Cliente mudou: entenda o como e o porquê!

 

[VINDI LIVES] #7 Desenvolvimento de Personas – Como acertar sua estratégia de marketing

Daily Vlog #5 Vindi – Como fazer um briefing para marketing digital

 

[VINDI LIVES] #4 Erros de marketing: O que não fazer para buscar o sucesso

 

E aí, o que falta para você começar a usar mais o cérebro, por a sua marca na internet e começar a transformar visitantes de seu site em clientes?

 

Já tem um site? Faça gratuitamente o raio-x do marketing digital e veja onde você pode melhorar sozinho e agora mesmo.