Posts

Deus Salve o Rei e Estratégia de Marketing

Eis que no início desse primeiro mês de 2018, a poderosa Globo investiu pesado e lançou sua nova novela ambientada na era medieval: Deus Salve o Rei!

 

A nova atração das 19h – horário nobre da emissora e sempre marcado pelas produções com um tom mais para o lado do humor e/ou para a experimentação, embarca em um ensaio repleto de inovações, temas atuais e uma inevitável comparação com séries como “Game of Thrones” e “Vikings” – mas pode ficar tranquilo: a Vindi não virou analista das produções da telinha – hoje vamos fazer um paralelo entre a nova novela e o que ela pode nos ensinar sobre estratégia de marketing, especialmente balizados pelo o que nos ensina Sun Tzu em seu famoso, brilhante e recomendadíssimo livro “A arte da guerra” – o qual apesar de, contam, ter sido escrito lá no ano de 500 a.C. (em tiras de bambu), ainda hoje nos serve de ensinamento paras o que fazer na “guerra do mercado”.  Vamos lá?

O que aprendemos sobre Estratégia de Marketing com Deus Salve o Rei

 

De cara e contextualizando, a trama da novela se passa em dois reinos: Montemor e Artena. Montemor tem muito minério, mas não tem água. Artena tem, mas não tem minério. A permuta entre estes recursos vitais sempre foi justa e equivalente até que começam as “tretas”, como em toda novela… Aí recomendo que você assista e leia os avisos abaixo:

 

Primeiro aviso: temáticas como briga de tronos, amores proibidos, ambições, atos de loucura e outras coisas de praxe nesse tipo de trama não vão aparecer aqui como spoilers ou como fruto da nossa dissertação nesse texto.

 

Segundo aviso: guerra, administração e gestão, sim, vão aparecer! A Arte da Guerra nos oferece lições fundamentais de estratégia, aqui simplificada e entendida como “fazer as coisas corretamente”. Para sermos mais objetivos, aqui fazemos o paralelo com os assuntos “recursos” (sempre limitados), “análise do ambiente” (marketing atuação no mercado, um ambiente incontrolável por definição, então, que tal analisá-lo primeiramente?) e “forças contra fraquezas” (lembrou dos famosos termos “vantagem competitiva” e “diferencial”?).

Sobre recursos: água e minério para ilustrar. Escassez/abundância e vice-versa para cada reino apresentado na trama. Sun Tzu escreveu:

“Um exército composto de cem mil homens só pode ser recrutado quando este dinheiro está disponível”.

É estupidamente comum ouvirmos relatos de empreendedores que reclamam de “tempos difíceis/crise” ou que estão à beira da falência, mas a reclamação é quase sempre a mesma “ficamos sem dinheiro”.

A verdade é que o problema geralmente está na capacidade operacional insuficiente, produtos ou serviços errados para determinado mercado e público, ou em uma infinidade de outros recursos geridos e aplicados de formada inadequada, mas que são fundamentais para tornar uma empresa bem-sucedida. Gerard Michaelson nos diz que:

“Para alcançar o sucesso, você precisa ter superioridade – o problema é que ela é sempre relativa”.

 

A pergunta retórica e chave então é essa: qual é o limite de recursos que podem ser alocados? Se você está realmente determinado a vencer, não há um limite máximo, no entanto, isso não quer dizer que você possa desperdiça-los de forma imprudente.

 

Falando sobre a análise do ambiente, quando a rainha Crisélia morre e nossa querida representante do casal do hexa, Bruna Marquezine (#BruMar), decide na trama botar em prática os seus planos expansionistas e acabar com a paz entre os dois reinos da novela, isso nos brinda o primeiro “P” que todo composto de marketing deveria ser iniciado: Pesquisa.

Sun Tzu nos disse “o soberano que prestar atenção nos meus estratagemas e analisar os lados antagonistas, com certeza vencerá a guerra, e eu, por esse motivo, ficarei ao seu lado”.

São 04 fatores que devem ser analisados segundo ele – já que uma boa avaliação desses elementos é a base para uma operação bem-sucedida. Veja só quais são:

  1. Influência moral, aqui podendo ser entendido como a “missão”, ou seja, a força da crença de lutar por algo e com compromisso;
  2. A temperatura, equiparada às “forças exteriores”, ou seja, fatores econômicos, sociais, culturais, políticos, tecnológicos e vários outros, obviamente, incontroláveis por nós;
  3. O terreno: essa é fácil – o mercado. Assim como o general precisa conhecer o terreno, a estratégia precisa considerar o cenário da ação – pessoas, praça, produto, promoção, preço, etc.;
  4. O comandante, ou no paralelo para o mundo dos negócios, a força e comportamentos do líder/gestor – os nomes mudam ao longo do tempo, mas os princípios da liderança continuam os mesmos (e pauta para um futuro texto…)

Quase finalizando, forças contra fraquezas – sempre! Se Artena e Montemor fossem duas empresas que disputam o mesmo mercado (praça, clientes, produtos similares, etc.), como poderiam usar seus recursos disponíveis e a análise feita um do outro para achar uma estratégia e uma vantagem na competição? Novamente, “tio Sun Tzu”,  nos brinda:

 

“Quando você tiver dez vezes a força do inimigo, cerque-o. Quando tiver cinco vezes a sua força, ataque-o. Se você tiver o dobro da sua força, combata-o. Se estiver em condições iguais, seja capaz de dividi-lo. Se estiver inferiorizado, seja capaz de se defender. E se estiver, de alguma maneira, numa posição desfavorável, seja capaz de evitá-lo.”

 

Parece lógico né, mas na vida real e no mercado é exatamente assim, e até pior: “um pelotão mais fraco acabará se rendendo a um mais forte se simplesmente ficar estático e fizer uma defesa desesperada”.

Repare na frase de alerta e lembre-se: a sugestão é ter sempre mobilidade e flexibilidade, estando pronto para a retirada, quando em desvantagem. Perder a batalha não significa perder a guerra. A questão não é de números brutos; a superioridade pode ser alcançada de várias maneiras nos negócios: elementos de marketing como preço, promoção, produto superior, posicionamento e diversas outras táticas.

É vital para qualquer estratégia de marketing (e de guerra…) bem sucedida, conhecer as virtudes e fraquezas do nosso adversário para que possamos calcular onde o nosso ataque se concentrará. Subestime o oponente e os resultados serão desastrosos. Será que Afonso, Amália, Rodolfo e Augusto (prometemos, sem spoiler) sabem disso? Cenas para os próximos capítulos…

 

E aí, o que achou do nosso artigo? Não se esqueça de usar o campo de comentários abaixo para continuarmos a conversa, beleza?

 

Até a próxima!

O que é estratégia de marketing?

É muito comum ver empresas gastando tempo e recursos tentando encontrar o modelo de negócio perfeito e, quando acham que encontram, percebem (tardiamente) que o mercado não precisa, não quer ou não entende o que elas oferecem…

Essa falta de visão sobre o negócio pode ser resolvida com a ajuda de uma boa estratégia de marketing.

A palavra estratégia vem do latim strategĭa que, por sua vez, deriva de dois termos gregos: stratos (“exército”) e agein (“conduzir”, “guiar”). Portanto, o significado primário de estratégia é a arte de conduzir as operações militares.

 

Não dorme aí, Zerocinco.  Segura essa granada e vem comigo.

Tendo em mente a definição acima, falemos agora sobre o conceito de marketing. Tem uma frase que eu gosto muito.

“É o processo de atrair e manter o cliente”. (Theodore LEVITT, 1990)

Juntos, estratégia + Marketing  podem ser entendidos como uma forma de guiar as operações para atrair e manter clientes.

 

Ok, está acompanhando o raciocínio?

 

O tema do post de hoje é estratégia de marketing: Mas, o que isso significa, afinal?

 

Qual a importância de ter uma estratégia de marketing?

 

Mais rápido do que notícia ruim, termos de marketing viajam de post a post, de tuite a tuite, muitas vezes sem ser aplicado, ou entendido de forma correta por parte de quem o usa.

Então, quando falamos em ter uma estratégia de marketing, o que isso realmente significa?

A própria ideia de traçar uma estratégia remete a planejar, pensar bem antes de tomar qualquer medida prática.

Mas, uma estratégia bem-sucedida é mais do que uma preparação antecipada. Envolve também um acompanhamento durante a execução do projeto. Isso envolve:

 

Objetivos evidentes

 

Escolher o que você pretende alcançar com o marketing é o primeiro passo para uma estratégia de sucesso.

Este é você, tentando definir seus objetivos, Zerocinco? Não seja assim, por favor!

Depois de definir claramente o que se pretende alcançar, é muito mais fácil se concentrar apenas nas ações que ajudarão a empresa nisso, e ter noção de quanto tempo isso vai demorar.

Por isso, podemos dizer que uma estratégia de marketing só funciona quando tem objetivos bem definidos e compartilhados por todos na empresa.

Comunicação contínua

É muito comum as pessoas caírem no equivoco de pensar que fazer marketing significa trabalhar apenas com a inspiração e a criatividade, mas não é bem assim.

Há muitos processos e estruturas envolvidos nesse trabalho, e a boa comunicação garante que todos os profissionais façam o seu melhor a cada momento.

Procedimento Operacional Padrão – POP

É uma ferramenta muito simples que compõe a área da qualidade, as Instruções de Trabalho – IT, também, conhecidas como NOP (Norma Operacional Padrão) ou POP (Procedimento Operacional Padrão), têm uma grande importância dentro de uma empresa, o objetivo básico é o de garantir, mediante uma padronização, os resultados esperados por cada tarefa executada, ou seja, é um roteiro padronizado para realizar uma atividade.

Os POPs podem ser aplicados, por exemplo, numa empresa cujos colaboradores trabalhem em três turnos, sem que os trabalhadores desses três turnos se encontrem e que, por isso, executem a mesma tarefa de modo diferente.

Quer saber mais a respeito? Deixe suas dúvidas nos comentários desde post.

Analisar resultados

Como saber se tudo que estamos executando está dando retorno?

No caso do marketing isso acontece ao analisar o que chamamos de métricas e KPIs (Key Performance Indicator). Essas métricas são dados relevantes sobre pontos específicos do planejamento.

Para aprofundar um pouco mais sobre KPIs, trata-se do indicador que é utilizado para medir o desempenho dos processos de uma empresa e, com essas informações, colaborar para que alcance seus objetivos.

Por exemplo, é possível saber quantos novos clientes a empresa conseguiu, quanto lucro isso trouxe, entre outras informações.

Depois é só comparar isso com os objetivos definidos e ver se o negócio está no caminho certo ou não.

Por que é importante ter uma estratégia?

Só pela explicação anterior nós já conseguimos perceber que é vantajoso ter uma estratégia de marketing, não concorda?

Mas, para que você se convença ainda mais disso, Zerocinco, listei 4 motivos sobre a importância da estratégia para a sua empresa:

Redução de estresse

Conduzir uma campanha de marketing sem qualquer tipo de planejamento é tipo…

Parece uma luta que não acaba nunca. Isso levaria à tomada de decisões importantes sem qualquer tipo de informação ou critério, mal uso das ferramentas disponíveis para o trabalho, conflitos internos, falta de resultados e desânimo geral.

Em outras palavras, trabalhar sem se planejar e seguir um rumo certo significa muito estresse desnecessário.

Esse estresse todo é evitado a partir do momento em que se adota um padrão de trabalho, uma estratégia com começo, meio e fim.

 

Redução de despesas

Uma coisa que todo empreendedor deve manter em mente é: decisões ruins custam dinheiro.

Sempre que uma decisão ruim é tomada, isso acaba custando à empresa tempo para ajustes e energia dos colaboradores que poderia ser usada para outras tarefas.

Isso sem contar os casos em que um investimento mal feito acaba dando prejuízo financeiro de forma direta!

Por isso, traçar uma estratégia clara ajuda a evitar decisões ruins, o que significa reduzir as despesas no projeto

 

Decisões melhores

 

Quanto mais informações de qualidade você tiver à disposição antes de tomar uma decisão, mais fácil será acertar nos pontos mais importantes para que o negócio se mantenha saudável.

Como se planejar envolve também se manter bem informado, fica claro que isso interfere de modo positivo nas escolhas que você terá de fazer ao longo do caminho.

E com tantos caminhos que você pode seguir, saber para onde direcionar os esforços é a diferença entre o lugar comum e o sucesso.

 

Time motivado

 

Imagine uma equipe que não consegue se manter em sintonia, não tem metas claras e nem sabe realmente o que fazer para resolver o problema.

É importantíssimo que todas as partes envolvidas no projeto deem suas opiniões e  sejam ouvidas.

Agora pense em um time que tem objetivos claros em foco, colabora entre si para alcançá-los, e consegue se manter atualizada em um mercado competitivo.

Qual você acha que estaria mais motivado?

Esta é a grande diferença entre ter ou não uma estratégia de marketing bem definida e segui-la!

 

Fechando o post de hoje, vamos falar agora sobre alguns filmes que podem te ajudar a entender sobre boas estratégias de marketing.

 Filmes sobre estratégia que todo empreendedor deveria ver

 

Obrigado por Fumar – Filme 2005

 

Este é um dos meus favoritos. Apesar de Lobby não ser (exatamente) uma profissão no Brasil, nele Nick Naylor (Aaron Eckhart) é o principal porta-voz das grandes empresas de cigarros, ganhando a vida defendendo os direitos dos fumantes nos Estados Unidos.

Polêmico, mas uma verdadeira aula de Atendimento e estratégia em debate.

Cidadão Kane (Citizen Kane) – 1941

 

OBRIGATÓRIO para profissionais de comunicação e extremamente recomendado para gerentes de marketing e empreendedores. Dirigido por Orson Welles, o longa conta a ascensão de um mito da imprensa americana.

De garoto pobre no interior a magnata de um império do jornalismo e da publicidade mundial.

O Lobo de Wall Street – 2013

 

Este não poderia faltar, não é verdade?

Nesta autobiografia impressionante e divertida, o Lobo de Wall Street narra sem meias palavras sua história de ambição, poder e excessos.

Uma vida marcada pelo relacionamento tumultuado com sua esposa, com quem morava numa mansão servida por 22 criados, e por aventuras ao redor do mundo com aviões, iates, drogas e mulheres.

Até que alguns passos em falso o colocaram frente a frente com a Justiça, ao mesmo tempo em que se perdia no mundo do vício… E tudo começou a desmoronar.

 

E aí, pronto para fazer a sua estratégia de marketing? Se precisar de ajuda com o seu marketing digital, clique no banner abaixo.