Pokémon Business model Canvas GO?

Sim amigos e amigas empreendedoras,

Nós também estamos nessa vibe do Pokémon GO e no post de hoje iremos dar algumas dicas do que você deve fazer para ser um grande mestre Pokémon dos negócios.

Para quem não sabe,  Pokémon GO é um sucesso no mercado de aplicativos de entretenimento para smartphone, o qual em menos de 7 dias após seu lançamento, apenas nos Estados Unidos, já possuía cerca de 65 milhões de usuários. Talvez por realizar o sonho de muitos adultos que quando criança assistiam o desenho animado de mesmo nome e não podiam naquela época ser o mestre Pokémon e agora, por causa do jogo em realidade aumentada, esse desejo “pode” ser realizado. Além da conquista de um público mais jovem que nem conheceu o desenho animado, mas curtiu a ideia de explorar a cidade para capturar seus monstrinhos.

Qual o negócio de Pokémon GO?

No jogo, cabe ao jogador encontrar e capturar a maior quantidade de monstrinhos espalhados em diversos locais, até mesmo dentro da (sua) própria casa, treinar esses monstrinhos para que eles evoluam e assim  fiquem mais fortes para duelar com os concorrentes, vencer suas batalhas e se tornar o dono de um determinado espaço de lutas, os chamados Ginásios Pokémon.

E aí, está começando a enxergar semelhanças com o mundo do empreendedorismo? Vamos a elas.

O mestre Pokémon deve escolher muito bens seus monstrinhos para que eles possam lutar e vencer suas batalhas, treiná-los para que eles possam evoluir nos combates. E o empreendedor? Esse deve escolher muito bem o Segmento de Clientes que ele pretende “capturar” para a sua base, logo deve conhecer que tarefas esses clientes querem realizar, que dores sofrem ao tentar realizar essas tarefas e quais benefícios eles esperam ter ao tentar resolver essa tarefa. Além disso, é fundamental o empreendedor validar se os problemas que seus potenciais clientes realmente existem, se existe um mercado potencial que valha a pena buscar e por fim se esses potenciais clientes teriam interesse em pagar por esse produto ou serviço.

Após entender muito bem como é esse potencial cliente, cabe ao nosso mestre Pokémon criar uma solução que realmente atenda as expectativas de seus clientes. No jogo, cada monstrinho tem um conjunto de habilidades que são melhores ou piores em relação a outros monstrinhos, logo cabe ao mestre Pokémon escolher aquele monstrinho que tem mais chances de vencer de acordo com os outros combatentes (concorrentes).

Já o nosso empreendedor deve olhar muito bem como o seu potencial cliente já resolve o seu problema hoje, como os possíveis concorrentes atuam, observando seus pontos positivos e negativos, para que então ele possa criar, entregar e capturar valor do mercado através de uma Proposta de Valor única na percepção desse cliente, o qual eu gosto do conceito que diz que:

“…a proposta de valor nada mais é do que um conjunto de benefícios, soluções e valores que você entrega na forma de produto e/ou serviço para o mercado.”

Mas como o mestre Pokémon captura os monstrinhos? Para início de brincadeira, ele deve possuir um smartphone com câmera, GPS e internet, logo, esse é o meio mínimo que ele deve possuir para capturar seu primeiro pokémon (Charmander, Squirtle ou Bulbasaur).

Nosso empreendedor deve observar essa nuance também: como os meus clientes poderão ter acesso aos meus produtos? Como ele saberá que meu produto existe? Quais os Canais que irei utilizar para entregar meu produto para os clientes?

Porém, só entregar o produto ou serviço, não o fideliza a sua empresa. O Pokémon GO possibilitou que a gameficação permita ao usuário a melhoraria de seus monstrinhos através da própria evolução do mestre pokémon, pois quanto mais ele capturar, maior o nível dele, assim, maior a possibilidade de ele evoluir seus bichos. Outra forma de relacionamento do jogo com o usuário é a emissão de alerta de presença de pokémon em uma determinada área, o celular vibra e o jogador já toma ciência  de que há um monstrinho por perto. Fora as possibilidades de interação com outros usuários em batalhas, disputas por ginásios e lojas.

Como vocês podem observar, a produtora do jogo pensou em cada detalhe de como o relacionamento com o cliente é importante para garantir o sucesso de seu jogo. Cabe ao empreendedor pensar em formas de manter seus clientes ligados emocionalmente com a sua empresa para tentar manter a relação entre as partes mais duradoura possível.

Como você, empreendedor, irá se relacionar com os seus clientes?

No fechamento do lado emocional do Canvas do Modelo de Negócio (BUSINESS MODEL CANVAS) temos as Fontes de Receita, ou seja, as formas com que o empreendedor irá capturar receita do mercado, sim senhoras e senhores, estamos falando das formas com que o dinheiro vai entrar na empresa.

E é aqui, que Pokemón Go teve mais uma grande sacada com a inserção da possibilidade de compra na lojinha dentro do app, que vende itens (pokebolas, poções de cura para os pokemons, candy para aumentar o poder dos pokémons e muito mais) com seu valor em pokecoins (moeda própria do jogo). Essas moedas podem ser compradas com dinheiro real . Os caras são bons, realmente pensaram em tudo!

Cabe ao nosso mestre Pokémon da vida real, listar quais serão as formas que o dinheiro vai entrar no seu caixa, perceba que eu não estou falando do preço que será cobrado, mas sim as formas pelas quais os clientes poderão pagar para a sua empresa para ter acesso aos seus produtos e serviços. Os exemplos são vários, a dizer:

  • Aluguel;
  • Taxa por uso,
  • Venda de produto;
  • Taxa por inscrição;
  • Empréstimo;
  • Licenciamento;
  • Publicidade;
  • Freemeium  entre outros.

O lado direito do CANVAS envolve 3 palavras principais: promessa, encantamento e pagamento. Promessa de ter uma solução eficiente que seja valorada na percepção do cliente. Encantamento com atendimento e superação da expectativas por parte do cliente através da solução. Pagamento, pois é forma do cliente reconhecer que vale a pena pagar para se ter ou fazer uso daquela solução.

Veja o que o autor do livro base da metodologia diz nesse vídeo (em inglês, mas é só ativar as legendas):

Mas prometer e não cumprir queima qualquer negócio. Para tal, é fundamental que ao preencher o lado esquerdo CANVAS, o empreendedor tenha consciência dos Recursos Principais que ele deve possuir, nesse caso estamos falando mais especificamente de infraestrutura, finanças, mão de obra e tecnologia.

Para o Pokémon GO, a empresa produtora teve que utilizar uma mão de obra altamente especializada que soubesse desenvolver jogos em realidade aumentada, servidores com uma alta capacidade de armazenamento de dados, já que estamos falando de uma demanda mundial bastante elevada, enfim diversos outros detalhes voltados a tecnologia da informação para garantir que o negócio desse certo.

Enquanto em recursos principais, estamos falando do TER, em Atividades Chaves estamos falando do FAZER, ou seja, amigos e amigas, estamos falando de ação, logo tudo aquilo que uma empresa deve realizar para garantir que sua promessa seja cumprida e a expectativa do seu cliente seja, no mínimo, atendida. Lembrem-se, nosso objetivo é sempre superar as expectativas dos nossos clientes.

E o que a Niantic (produtora do jogo) fez enquanto atividade chave?

Basicamente garantiu uma equipe de desenvolvimento atuando constantemente no aplicativo para garantir sua jogabilidade, correção de bugs que porventura podem ter existido ou podem continuar aparecendo. Oferta de uma experiência nova aos “gamers“, pois em vez de jogar em casa, ele pode explorar as ruas jogando, interagindo com desconhecidos em ruas, praças e outros locais de grande movimentação, além da oferta da possibilidade do jogador se transformar em um personagem do jogo. Enfim, essas são as diversas atividades essenciais que permitem que o jogo seja o sucesso que é.

Mas em a Niantic só, não teria o sucesso que tem, se ela não fosse boa de Parcerias.  De cara ela consolidou com 2 grandes marcas, Pokémon Company e Nintendo, a parceria para criação, colaboração, produção e lançamento do jogo para o mercado mundial de games. A primeira proprietária do desenho animado, sucesso nos anos 2000. E a Nintendo, grande fabricante japonesa de jogos eletrônicos, empresa que não tinha um grande sucesso desde o Mário Bros. Ah, a Niantic foi uma startup interna do Google formada em 2010 que recebeu suporte até meados de 2015 quando se tornou uma entidade independente.

Na ultima etapa de preenchimento do CANVAS, temos o módulo onde “filho chora e o pai não vê”. Tirar um sonho do papel tem um custo e é fundamental o empreendedor mestre Pokémon conhecer por onde parte do seu capital será gasto, sim, estamos falando da Estrutura de Custos. É fundamental que o empreendedor conheça os grupos de custos fundamentais do seu negócio funcionar adequadamente, não devemos colocar o volume de recursos gastos, mas sim listar os principais custos envolvidos na operação do negócio. No caso do jogo, o custo com equipe de desenvolvimento, gastos com servidor, publicidade online, assessoria de imprensa, entre outros, esses foram os grupos de custos principais que são envolvidos no Pokemón GO.

Após preencher esses 9 módulos apresentados no livro Business Model Generation ( #ficadica de leitura ) do Alexander Osterwalder, certamente você empreendedor e jogador do Pokémon GO terá alguns benefícios bem interessantes, por exemplo,  sistematização do modelo de negócio da sua potencial empresa, sabe aquele pacote de ideias que você fala para os seus amigos de como você irá lançar o seu negócio? Pois é, agora ele está todo na sua frente em um quadro.

Ah, você poderá também avaliar se tem coerência entre os módulos, para atestar se faz sentido ou não esse seu novo negócio.

Avaliando seu futuro Business, creio que você poderá após preencher o CANVAS dar um passo na frente de seus concorrentes e ser um grande mestre Pokémon dos negócios, aumentando em muito as chances de sucesso do seu Pokémon!

E aí? Capturou ?

 

 

 

 

 

Facebook Comments

One thought on “Pokémon Business model Canvas GO?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *