Saudações, terráqueos. Hoje vamos dar início a uma jornada sem precedentes para auxiliar empreendedores de primeira viagem a lançar sua ideia rumo ao sucesso.

Mas de onde você tirou esse título, cara?

O nome pode parecer pretensioso, afinal o que o Guia do Mochileiro das Galáxias tem a ver com empreendedorismo?

Decidi usar esse título por dois motivos: 1) Assim como a incrível obra de Douglas Adams, nosso objetivo é criar um guia que conduzirá aventureiros em uma jornada sem fronteiras e 2) Foi lendo a quintologia que eu tive algumas ideias dignas de por em prática (e as executei) e outras que não valeriam a pena saírem da minha mente (e lá ficaram).

Aconselho você a curtir nossa página no Facebook e seguir a Vindi no Twitter para não perder as próximas edições.

Antes de qualquer coisa: Don’t Panic

É normal a ansiedade de por logo suas ideias em prática. Prosperidade e sucesso é o que muitos empreendedores desejam quando iniciam seu próprio negócio. No entanto, leva mais tempo do que você imagina para que uma empresa recém nascida tenha êxito, ou mesmo entre no ponto de equilíbrio.

Capital, dinheiro necessário para iniciar, ações e expansão da empresa são importantes, assim como o gerenciamento de suas finanças pessoais e o equilíbrio das demandas de seu negócio. Felizmente, você tem opções quando se trata de financiar seu negócio e oportunidades de adquirir habilidades necessárias para efetivamente gerenciar suas finanças tanto no trabalho quanto em casa.

E felizmente, estamos aqui para te ajudar 🙂

Como este artigo corre o risco de ficar mais longo do que o normal, vamos separar o conteúdo em doses homeopáticas. Claro que sempre haverá a opção de você mandar um e-mail para falarmos mais de perto sobre seu negócio. Clique aqui para encurtar seu caminho ao sucesso.

AVISO! O Guia do Empreendedor das Galáxias é um projeto da Vindi para ajudar pessoas a iniciarem sua carreira empreendedora: esteja pronto para ler muito e obter dicas essenciais para o seu futuro.

Hoje vamos abordar o começo de tudo, aquele momento no qual você está saindo do campo das ideias e já está começando a engatinhar. E a pergunta a  seguir é como vamos separar os empreendedores dos assalariados.

Ser dono de uma empresa é o ideal para você? Mesmo?

O que passa pela sua cabeça ao pensar em ser proprietário de uma pequena empresa? Parece arriscado?

Será que você está pensando como os caras do Banchman Turner Overdrive quando dizem “It’s the work that we avoid, and we’re all self-employed; we love to work at nothing all day…”? algo como “É o trabalho que nós evitamos, e somos todos trabalhadores por conta própria; nós gostamos de trabalhar em nada o dia todo” (tradução livre).

Deixando o rock à parte, a verdade é que empreender é TRABALHO pesado. Todo empreendedor deve ser “pau para toda obra”. Por exemplo, um fotógrafo não se atém a apenas tirar fotos, ele é responsável também pelo marketing, pelas vendas, pelo faturamento e muito mais. Mesmo que contrate alguém para ajudá-lo, ele ainda é responsável pelos resultados, já que seu sustento depende disso.

No artigo (em inglês) “Como decidir se o empreendedorismo é certo para você“, Colleen DeBaise descreve o compromisso que o empreendedor deve ter com seu negócio/empresa:

“Começar uma empresa é muito parecido com se tornar pai. Você não tem só que se preparar emocionalmente e financeiramente, mas também tem que estar comprometido com as constantes necessidades até que amadureça o suficiente para andar com as próprias pernas. E mesmo assim (como uma criança) sempre precisará de você, não importa quantos anos tenha.”

Claro, assim como qualquer coisa na vida, empreender tem seus prós e contras. Então, pense bem antes de decidir se esse caminho é para você.

Para começar, vamos comparar: pequeno empreendedor x assalariado:

  1. Possuir uma empresa de pequeno porte é um trabalho interessante. Provavelmente, você que começar um negócio em algo que está apaixonado. Isso é muito atraente para pessoas que estão presas a um trabalho pouco estimulante ou desafiador;
  2. Empreendedores podem definir seus próprios horários. Dependendo do tipo de negócio que irá abrir, você poderá desfrutar de um horário mais flexível que um assalariado;
  3.  Empreendedores trabalham duro, mas se beneficiam diretamente. Enquanto um empreendedor pode ter dias que trabalhará 12 horas, alguns assalariados se perguntam se realmente é benefício trabalhar duro vários dias do mês – para receber a mesma quantia de dinheiro. Um pequeno empreendedor pode trabalhar algumas horas a mais, mas terá o resultado em sua conta;
  4. Ganhos ilimitados e crescimento em potencial. Dados de 2011, levantados pelo SIPS (Sistema de Indicadores de Percepção Social), mostram que micro e pequenos empreendedores ganham duas vezes mais que assalariados. Contudo, é importante levar em consideração as variações de rendimento, uma vez que no início do negócio o empreendedor tem ganhos mais baixos. Somente com passar do tempo e com o crescimento da empresa que esses ganhos irão superar os dos assalariados;
  5. Grandes recompensas vêm com mais riscos. De acordo com dados do SEBRAE, um em cada quatro negócios novos não sobrevivem aos primeiros dois anos. Diversas são as causas para que isso ocorra, dentre elas, falta de capital de giro, falta de gerenciamento, controle financeiro e etc. Enquanto nada, incluindo um dia de trabalho, for seguro, pequenos empreendedores devem estar preparados para lidar com uma renda variável. Para tanto, planejamento é fundamental para manter seu negócio funcionando sem problemas.

Não há garantias, assim como num trabalho assalariado, mas há meios de aumentar as chances de sucesso com empreendedor através de um plano de negócio cuidadoso.

Foi longo o post de hoje, não é? O que achou do Guia do Empreendedor até aqui?

Fique agora com a segunda parte, onde vamos falar sobre como transformar sua ideia em um plano de negócios

Facebook Comments