Erros de marketing que viralizaram

Como você bem sabe, na internet a zoeira não tem limites. E deslizes, aberturas para piada e notórios erros de marketing costumam cair na graça dos internautas através das redes sociais (para desgraça do criador e da marca envolvida).

Agora, na boa! Algumas empresas (parece que) pedem para serem zoadas, não é mesmo?

ERROS NO MARKETING

Hoje, vamos compartilhar com você alguns casos de empresas que falharam epicamente no marketing e que você pode usar como exemplo do que NÃO FAZER.

Bling: timing e abordagem

No topo, mas não necessariamente o maior FAIL dessa seleção, o caso de uma empresa que vacilou feio em usar as redes sociais para pegar carona em uma notícia de senso comum e aproveitar para “vender seu peixe”.

O Bling é um software de gestão empresarial, ERP para a micro e pequena empresa.E, aproveitando o trending topics do momento, criaram a seguinte publicação no Facebook:

Vamos aos fatos. É muito legal (e recomendável) você aproveitar as tendências e o que está sendo falado no mundo para usar o marketing de oportunidade.MAS, BOM SENSO VALE MAIS QUE 1 MILHÃO DE LIKES!

Se você não lembra, há um tempo atrás um avião sumiu no mar, uma tragédia na qual centenas de pessoas morreram. A empresa usou esse tema (que estava sendo super falado) para fazer o seu marketing e, claro, recebeu milhares de comentários negativos nas redes sociais.Então você pensa: como o assunto está no auge, não devo aproveitar o momento?

Não, não é assim…regra de ouro da produção de conteúdo para mídias sociais: NUNCA aborde notícias que envolvem morte e tragédias!

Muitas vezes o erro está em não saber para que comunicar. Pensando nisso, fizemos um texto bem legal para te ajudar. Você pode abrir em uma nova aba clicando aqui.

Nestlé faz bebida Alpino SEM chocolate Alpino

A Nestlé lançou uma linha de bebidas prontas chamada “Fast” e uma delas era de chocolate Alpino. Ou melhor, sabor Alpino, já que a própria embalagem dizia que o produto não continha o chocolate Alpino. O caso gerou reclamações no CONAR e manifestos na internet. A empresa foi notificada, precisou se desculpar em público e mudar o rótulo do seu produto.

Ação da P&G “de parar o trânsito”

A P&G realizou uma ação no “avião do Faustão”, um remake da antiga promoção do caminhão. Tudo parecia ir bem até a empresa decidir espalhar caixas que supostamente teriam caído de aviões, no Rio de Janeiro.

O problema é que isso aconteceu exato no momento em que o Rio passava por um período de extrema insegurança, com o conflito entre policiais e traficantes. Resultado: a população ficou com medo, o esquadrão antibomba foi chamado e a imagem rodou todos os noticiários policiais do país.

 

Revlon: perfume de Velório?


Até mesmo fatores culturais podem causar impactos negativos se a estratégia de marketing não for bem analisada e planejada.Um exemplo disso foi o que aconteceu com a marca de cosméticos Revlon, quando lançou uma nova fragrância de perfume no Brasil.

A fragrância era de flores de Camélia, só que não foi avaliado (antes do lançamento do perfume) o fato de que a fragrância desta flor está associada a funerais no Brasil.

Sem surpresa, o perfume não teve sucesso. Muitos entenderam que a empresa estava desrespeitando a cultura local.

Será que Mark Zuckerberg já estudou no Paraguai?

Pois é. É de conhecimento público que o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, é ex-aluno de Harvard, mas não chegou a terminar o curso. Eis que aparece um anúncio mostrando que ele fez faculdade no Paraguai. Hein? Veja o que a universidade paraguaia disse:

Nós pedimos a elaboração de um outdoor [para a agência de publicidade], e eles nos passaram essa imagem sem conhecer de quem eram os rostos utilizados. Perguntei se tínhamos que colocar rostos de alunos conhecidos, e eles responderam que tinham imagens gratuitas ofertadas na internet legalmente.

Amigos, de verdade. NUNCA peguem qualquer foto do Google para usar em seus trabalhos. Procurem sempre por fotos com a licença CC (Creative Commons) ou compre fotos em bancos de imagem [via: Buzzfeed e EFE/Paraguay.com].

Listerine e a embalagem nota ZERO

 

Sabemos que a embalagem é essencial para o produto, mas ela também pode ser aquele empurrãozinho (diferenciado) que o seu empreendimento está precisando.Em um mercado tão competitivo como o de saúde bucal, a Listerine conseguiu realizar essa proeza… parabéns aos envolvidos.

É por essas e outras que aqui na agência a gente brinca que todas as empresas deveriam ter um departamento de “vai dar M%¨&”. Uma equipe que olhe com cuidado o projeto antes de veicular e pense: “hum… será que não vai dar m..?” ou que simplesmente se coloque na posição de consumidor (saindo um pouco de sua posição técnica) e dê seu parecer leigo.Ação simples, de apenas se colocar no lugar de quem irá ser atingido pela comunicação: o potencial consumidor.

Agora que você já sabe o que NÃO FAZER, veja como parar de vender para pessoas erradas

E aí, conhece algum outro caso de erro de marketing que queira compartilhar? Deixe seu recado aí nos comentários.

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *