Entenda o essencial do Google Adwords para você captar clientes

O Google Adwords é a plataforma de anúncios do Google, que atrai visitantes para o seu site, no momento em que eles estão buscando por algo que você ofereça.

 

Confesso que posso dizer que quando comecei a usar o Google AdWords, era “tudo mato”. Quase não tinha Extrafarma em Belém e eu ainda tinha cabelo  =/

Na época era uma missão homérica convencer os clientes da importância da internet, e como o Google poderia ajudar a gerar mais visitas no site, e consequentemente mais oportunidades de negócio.

 

Por sorte, com a evolução do Marketing Digital, muita gente já tem consciência do quanto os anúncios online são importantes, do quanto o Google Adwords pode ajudar como uma excelente plataforma para atrair mais clientes em potencial para o seu negócio.

 

A questão é que ainda existe uma barreira nesse ponto, ou seja, apesar de muita gente entender conceitualmente a importância disso tudo, elas não sabem por onde começar.

 

Isso acontece, provavelmente, porque são muitas coisas para aprender, muitas informações que na prática, para quem está começando, fica difícil filtrar o que é realmente válido e o que não é.

 

Foi pensando nisso que preparamos o artigo de hoje.

 

Através dele, nós queremos ajudar a você que está interessado em extrair o potencial máximo da internet para transformar desconhecidos em clientes

 

Fique tranquilo, nós vamos simplificar tudo nesse conteúdo e tornar os processos mais fáceis de serem realizados.

 

Vamos juntos?

 

O que é o Google Adwords?

O AdWords é a plataforma de publicidade online do gigante de buscas Google. E através dele, anúncios são exibidos em forma de links patrocinados quando alguém realiza uma busca, seja por meio de computadores ou smartphones.

Os anúncios são exibidos principalmente nos resultados de pesquisas, relacionados às palavras-chave usadas nessa busca.

 

Repare que dentro da caixa verde aparecem os anúncios em destaque. Uma solução genial do Google. Afinal, nada mais oportuno do que estar presente no momento exato em que as pessoas estão pesquisando por algum produto ou serviço que você ofereça.

Legal, não é?

Mas não é só isso. Existem também outros formatos de anúncios disponíveis no AdWords, além da rede de pesquisa. Eles podem ser exibidos em forma de banners e vídeos, em áreas especiais e de visibilidade em diversos sites parceiros do Google.

Esse enorme conjunto de sites parceiros compõe a Rede de Display, o que inclui também o Youtube, plataforma de vídeos pertencente ao Google e que é considerado o segundo maior buscador do mundo.

Como funcionar o Adwords?

Toda vez que alguém busca algum termo no Google, em uma fração de centésimo de segundo acontece um leilão de anunciantes para exibir seus anúncios de acordo com a palavra-chave que fora digitada. Os anúncios são exibidos com base no preço máximo oferecido por clique por cada anunciante e um histórico de qualidade do anunciante

A parte boa é que o anunciante só paga por esse leilão quando seu anúncio é clicado.


Quem pode anunciar?

Pessoas ou empresas cadastradas no Google AdWords, e que possuam conta válida, com saldo suficiente, “comprando” palavras iguais ou similares às digitadas no Google, além de uma série de outras condições. O Google realiza então um leilão instantâneo, determinando a posição de cada anúncio
O importante é você saber que simplesmente pagar mais pelo clique não basta para o seu anúncio aparecer bem posicionado. Você deve trabalhar a “qualidade” de seu anúncio.

Resumidamente, o índice de qualidade é uma avaliação feita pelo Google, gerando uma nota de 1 a 10, utilizada para determinar se o anúncio, as palavras chave e a página de destino são relevantes para o internauta interessado naquele assunto.

Existem diversos motivos para você começar a usar JÁ o Google Adwords, separei abaixo as que considero mais convincentes:


Velocidade no planejamento e execução

Após configurar sua conta, definir suas palavras-chave e criar seu primeiro anúncio, basta escolher a forma de pagamento. Se optar por pagamento “automático”, seu anúncio será cobrado via cartão de crédito e se aprovado, seus anúncios começam a veicular imediatamente
Captar potenciais clientes em todos os estágios do funil de vendas.

Já falamos anteriormente sobre o funil, lembra? Caso não leia este nosso post sobre Funil de vendas: aprenda a transformar visitantes em clientes.

Com o Google Adwords, é possível criar campanhas para cada estágio do funil, separando por palavras-chave relacionadas.
Muitas vezes esse investimento para ter resultados de curto prazo é essencial por dar fôlego para realizar da maneira certa e sem atropelamento outras atividades de longo prazo como blog, mídias sociais e SEO.


Descobrir insights importantes para o negócio.

 

Utilizando o Google AdWords também é possível testar a taxa de conversão das palavras-chave relevantes para o seu negócio e identificar quais trazem o maior número de Leads ou vendas. No decorrer do processo é comum descobrir que nem sempre as palavras com maior volume de buscas são as que trazem mais oportunidades de negócio.

Essa análise permite identificar por quais palavras-chave valem a pena e ainda potencializar seu conteúdo de blog e redes sociais, focando em para palavras que realmente convertem.

Também é muito comum perceber tendências de busca e realizar adaptações nos produtos ou serviços. Por exemplo, se as pessoas buscam mais sobre biscoito do que bolacha, qual dos dois tipos de produtos você deve focar mais? (Estou partindo do pressuposto de que biscoito e bolacha são equivalentes para “Maria, Maizena, Cream Cracker” e “Passa-tempo, Negresco” respectivamente).

Abaixo assista um vídeo sobre como criar o seu primeiro anúncio no Google Adwords:

E aí, pronto para pôr o que você aprendeu hoje em prática? Aconselho a fazer o teste o quanto antes e, caso tenha alguma dúvida, não hesite em comentar e compartilhar sua dúvida/opinião aqui com a gente, ok?

Precisa de mais do que um vídeo? O que acha de tomar um cafezinho aqui com a gente e pensarmos juntos sobre como você pode usar a internet para captar mais clientes?


Como fazer de 2018 o 2017 que deu certo no marketing?

Época de fim de ano é sempre cheio de risos, confraternizações e deixar tudo para o ano que vem… será mesmo?

Vamos falar a verdade, você empresário, empreendedor, autônomo, estudante e afins, deve ter passado o ano todo assistindo palestras, webinários, lendo e-books e acompanhando as vídeo-selfies da Ana Tex sobre marketing para Whatsapp com uma única certeza:

 

ESSE ANO EU VOU DOMINAR O MARKETING DIGITAL

 

Certeza que o seu HD externo, Dropbox ou Google Drive devem te dar todos os recursos para isso, não é?

 

Você é do tipo que não espera a resposta cair no colo, vai atrás, estuda e planeja como vai fazer para usar a maravilhosa internet a seu favor.

Acertei?

Sim?

Eu sei, e sabe por que?  Porque eu já fui igual a você e também porque você é uma das personas que a Vindi tem como possíveis clientes. Agora me deixa dizer uma verdade inconveniente.

O ANO ESTÁ ACABANDO E VOCÊ NÃO CONSEGUIU…

 

Não conseguiu (A) Operacionalizar suas estratégias de marketing digital corretamente ou (B) Escolher o melhor caminho para transformar internautas em clientes.

 

Acertei novamente, não é mesmo?

 

Acredite, não estou dizendo tudo isso por desconfiar da sua capacidade, nobre ~e possivelmente ávido por me xingar~ leitor. Digo isso com o mais triste sentimento e identificação com a causa.

cliente

 

Vamos aos fatos!

 

O mercado não anda muito bem das pernas, arrisco dizer que é uma verdadeira guerra administrar uma empresa, cuidar dos funcionários, pensar no caixa e ainda lembrar que sem marketing digital sua vida empresarial tende a ser reduzida, e não sou eu quem estou falando isso, não. Olha aí:

“Há 10 anos a efetividade do marketing era dependente do peso da sua carteira. Hoje, a efetividade do marketing é dependente do tamanho do seu cérebro” – Brian Halligan, cofundador e CEO da Hubspot

 

Estamos a poucos dias das festas de fim de ano, mas já é tempo de você começar a planejar as ações que a sua empresa irá colocar em prática quando 2018 chegar. O Natal, o Réveillon e as férias vêm aí e é bom que as estratégias comecem a ser elaboradas desde agora.

 

Você já começou a pensar nisso?

Pois deveria. Deixar tudo para a última hora pode prejudicá-lo.

Pois é, vamos usar então mais o cérebro e menos a carteira para fazer de 2018, o 2017 que deu certo?

 

Uma pesquisa realizada pelo Boston Consulting Group (BCG) revelou que mais de 70% dos internautas usam buscadores, redes sociais e sites para pesquisar, descobrir e comparar produtos, empresas e serviços.

 

Ainda sobre a pesquisa, o impacto da internet é maior na fase de pré-compra. Descobrir, pesquisar e localizar marcas, produtos, serviços e lojas online já representa de 60% a 70% das pesquisas em sites, redes sociais e buscadores como o Google. Os canais online, como o Facebook e WhatsApp, também são amplamente utilizados pelo consumidores brasileiro para expressar as opiniões de pós-compra, tanto as positivas quanto as negativas (70%).

 

Portanto, seja você uma grande rede varejista ou uma tímida loja virtual, é imprescindível investir na sua campanha de marketing digital em 2018 a fim de alavancar sua influência online. Então aqui vão 4 dicas sobre como usar as mídias sociais para encantar seus potenciais consumidores.

[VINDI LIVES] #1 Seu Cliente mudou: entenda o como e o porquê!

 

[VINDI LIVES] #7 Desenvolvimento de Personas – Como acertar sua estratégia de marketing

Daily Vlog #5 Vindi – Como fazer um briefing para marketing digital

 

[VINDI LIVES] #4 Erros de marketing: O que não fazer para buscar o sucesso

 

E aí, o que falta para você começar a usar mais o cérebro, por a sua marca na internet e começar a transformar visitantes de seu site em clientes?

 

Já tem um site? Faça gratuitamente o raio-x do marketing digital e veja onde você pode melhorar sozinho e agora mesmo.

 

Case de Sucesso: como eles venderam mais de R$ 21.000.000,00

Neste artigo você saberá como a incorporadora Arbre lançou o seu 1º empreendimento e fechou mais de R$ 21.000.000,00 em volume de venda.

Sobre a Arbre

A Folha Engenharia, dos primos Rodrigo Folha e Marcelo Folha, é uma construtora que, até o ano de 2014, executava projetos menores dentro de empreendimentos horizontais. Até que sirgiu uma oportunidade para adquirir uma área de 56.000m² no município de Ananindeua/PA — Região Metropolitana de Belém/PA.

 

Sendo este o maior empreendimento que a Folha Engenharia idealizou em toda a sua história, criou-se uma nova empresa para assumir o projeto, a Incorporadora Arbre.

 

Como resultado, nasceu o Residencial Arbre, um empreendimento fechado às margens do Rio Maguari com 235 unidades entre 160m² e 190m² para residências e 4 lotes para unidades comerciais.

 

O residencial horizontal conta com uma área de lazer completa, espaço zen, redário, trapiche, piscinas adulto e infantil, quadra de areia, campo de futebol society, salão de festas, churrasqueiras, academia, sala de ginástica, observatório panorâmico, espaços para convívio social e contato com a natureza.

 


O Problema, ou melhor, os problemas…

Durante o processo de aquisição da área do projeto, foi elaborado o projeto arquitetônico do espaço. O projeto foi compartilhado com algumas pessoas próximas, incluindo os sócios da Vindi, Paul Marcel e Karan Valente, que fizeram alguns questionamentos acerca do estudo mercadológico, como: Quem é o público alvo? Quem são e o que fazem os principais concorrentes? Análise SWOT? Posicionamento? Marketing e Canais de Aquisição?

 

FALAR COM CONSULTOR

 

O início da parceria

Com isso, percebeu-se que os sócios da empresa, tinham respostas superficiais ou até mesmo não as tinham.

 

Assim, teve início uma parceria com a VINDI, para elaboração do marketing do empreendimento em todas as suas fases, do pré-lançamento até a entrega.

 

FALAR COM CONSULTOR

 

A Solução

A fim de desenvolver um trabalho consistente para atingir resultados robustos em curto, médio e longo prazo, VINDI e FOLHA elencaram 4 etapas a serem executadas:

 

  1. Planejamento de Marketing

Durante as conversas iniciais, ficou claro que o empreendimento ainda não possuía nenhum documento que guiasse suas ações mercadológicas.

 

O primeiro passo, então, foi um planejamento de marketing, à cargo da Vindi, um estudo que direcionasse os esforços comerciais e respondesse às questões iniciais.

 

Nesta fase as ações executadas foram: Benchmarking, Análise SWOT, Ferramenta 5W2H, segmentação de mercado e definição de target, definição de posicionamento de mercado e proposta de valor.

 

  1. Criação da Identidade Visual

Em pesquisas realizadas com grupos de pessoas que apresentavam o perfil de potenciais clientes do empreendimento, percebeu-se que o então nome e a marca “Portal das Oliveiras” não estava condizente com os anseios.

 

A VINDI, como parceira do projeto, atuou no desenvolvimento da sua identidade visual. Construiu, do zero, toda a concepção da nova marca para que se tornasse mais conhecida, percebida, querida e desejada perante o público alvo e estivesse alinhada com todas as ações cotidianas a serem desenvolvidas no marketing da empresa.

 

Iniciou-se a etapa de branding com a definição de um novo nome, mais compatível com o consumidor ideal. Através do processo de Naming, o empreendimento foi batizado como “Arbre”, árvore em francês, nome esse que tem ligação direta com o sobrenome Folha” dos sócios da incorporadora.

 

Nesta etapa, foram desenvolvidas ainda, as propostas de marca, identidade visual e manual de marca do empreendimento.

 

  1. Assessoria Estratégica de Marketing

Mesmo com todo o planejamento de marketing pronto, desenvolver as ações do empreendimento não foi algo simples. O planejamento é apenas um guia norteador para as ações, mas a reação do mercado não é totalmente previsível. Durante o período de assessoria da Vindi junto ao empreendimento, houveram momentos não planejados.

 

A Vindi criou, executou e deu suporte às diversas atividades nos vários canais de mídia utilizados para atrair investidores, além de parceiros, como imobiliárias e corretores.

 

Foram realizadas ações de relacionamento e encantamento, com brindes surpresa, uso de realidade virtual para vivenciar o projeto e drones que registravam a evolução das obras.

 

  1. Marketing Digital

O marketing digital é muito mais que meros posts nas redes sociais. Envolve definição de estratégia em diferentes canais digitais (site, blog, plataforma de vídeo e redes sociais), execução e monitoramento constante das ações realizadas no meio digitais e integradas ao meio real (físico).

 

No caso do Residencial Arbre a primeira atividade que desenvolvemos para alavancar o empreendimento foi definir qual era o principal objetivo da presença digital da marca. Gerar oportunidade de vendas foi a resposta!

 

Com isso, o primeiro passo foi desenvolver a Persona do Residencial Arbre. Com a persona definida, chegou o momento de definição dos conteúdos que seriam trabalhados para cada momento da jornada de compra de cliente.

 

Posteriormente à definição dos conteúdos da jornada, ocorreu a produção da infraestrutura para receber esses materiais, com a criação do site institucional (otimizado para estar ente os principais resultados nos buscadores), landing pages, redes sociais e plataforma de email marketing.

 

>> FALAR COM CONSULTOR <<

 

Os Resultados

Através da assessoria estratégica de marketing da Vindi, o primeiro empreendimento de tal magnitude da Folha Engenharia (atual Arbre Incorporadora) é um sucesso comercial, permitindo assim que o residencial horizontal fosse entregue 4 meses antes da data prevista para os futuros moradores.

 

A venda de mais de 210 lotes (e casas) com um volume de vendas superior à R$21.000.000, demonstra a confiança depositada pelos sócios no time da VINDI há pouco mais de 2 anos. Com muita transparência na relação e o sentimento de dono, os objetivos traçados no planejamento foram, em muito, superados e o Arbre é caso de sucesso dessa parceria VINDI e Folha Incorporadora.

 

O Residencial Arbre mudou a própria história com Marketing Digital.


Será que não está na hora de mudar a da sua empresa?

 

Descubra como você pode implementar novas estratégias para o seu negócio fazendo uma avaliação gratuita com a gente.

[QUERO FAZER UMA AVALIAÇÃO] 

 

 

 

10 argumentos para convencer seu time a adotar o Inbound marketing

 

Sabemos que toda mudança gera desconforto nas pessoas e que muitas das vezes temos que lutar bastante contra práticas antigas que outrora deram certas, mas que atualmente não tem mais o mesmo rendimento. Pensando nisso, trazemos aqui 10 argumentos que você poderá utilizar para convencer o seu time a adotar o Inbound marketing como uma nova forma de fazer marketing na sua empresa.

1.     Olha só quantos benefícios nós temos

 

Promova os benefícios que o novo marketing tem perante as práticas antigas, principalmente quando falamos de métricas mais precisas e fáceis de se conseguir através da internet e das ferramentas online disponíveis, sua equipe de marketing terá muito mais controle sobre suas ações e sobre os seus resultados também, em comparação ao velho marketing que trabalha mais com estimativas – além de ser normalmente muito mais caro.

 

2.    Nós seremos autoridade no assunto

Quando você começa a produzir conteúdos relevantes e úteis direcionados para a sua persona, uma série de potenciais clientes passam a ver a sua marca como referência, aumentando assim a sua credibilidade e a sua autoridade no assunto.

 

3.    Nosso marketing agora tem um ativo próprio

A medida que conteúdos passam a ser produzidos com frequência na sua empresa, mais materiais serão buscados e vistos dentro dos seus canais digitais (site, blog corporativos, redes sociais  entre outros), dando mais autoridade e relevância perante aos mecanismos de busca como o Google e o Yahoo, assim mais e mais potenciais clientes podem te encontrar por causa desse melhor ranqueamento na busca.

 

4.    Nós teremos uma nova barreira competitiva contra concorrentes

Mais e mais pessoas terão acessos aos seus materiais educativos e comerciais. E se esses conteúdos forem bons e úteis para esses leads, sua empresa poderá construir uma base sólida de fãs, seguidores, e assinantes da sua lista de e-mails (newsletter), constituindo assim um ativo de marketing considerável, que podem, fazer com que a sua marca chegue a cada vez mais potenciais clientes.

 

5.    Nós podemos medir tudo que queremos e ajustar a campanha em tempo real

A internet permite medir tudo que o usuário faz enquanto estiver online e a grande vantagem disso é que muitas dessas informações você consegue visualizar em tempo real, permitindo que ajustes possam ser realizados enquanto a sua campanha estiver vigente. Você consegue medir a quantidade de visitantes no seu site, a quantidade de leads gerados em cada landing page criada, quantos desses leads têm perfil para ser uma oportunidade de negócio e quantas vendas foram realizadas por causa do Inbound marketing. Além de informações como: quantidade de cliques, tempo gasto no seu site, tempo de vídeo assistido, curtidas, compartilhamentos, comentários, alcance, engajamento entre outras métricas.

 

6.     Nós vamos educar clientes em larga escala

Como o seu conteúdo está disponível 24h dia e 7 dias por semana, o seu braço comercial se torna muito mais eficiente na medida em que o seu potencial cliente começa a se relacionar com os seus materiais e com a sua marca: dessa forma, mais leads poderão conhecer seus produtos ou serviços em larga escala. O cliente encontra você e não o contrário.

 

7.     Nosso ciclo de vendas será otimizado

Como os seus conteúdos serão produzidos seguindo a jornada de compra, seu potencial cliente poderá entender primeiramente que tem um problema, que a sua solução é direcionada para resolver esse problema e que perante os concorrentes você é a melhor opção para ele, haja vista que seus conteúdos são muitos mais direcionados e focados ao que o seu cliente realmente precisa, diminuindo assim o esforço de venda do seu time, cabendo a este apenas encontrar os argumentos mais precisos de acordo com o histórico de materiais consumidos que esse lead teve da sua empresa. A conversa entre vendedor e cliente é muito mais direcionada, logo, mais precisa.

 

8.     Nosso conteúdo servirá para reduzir custos de treinamentos internos

Quando a sua empresa começa a falar dos benefícios dos serviços que ela tem, bem como de como a sua solução funciona e transforma tudo isso em ativo da sua marca, a sua própria equipe poderá usar esses materiais como referência para aprendizado e reciclagem, diminuindo assim, em muito, o custo de treinamento e capacitação dessa equipe com informações sobre o modo que a empresa atua.

 

9.     Nós teremos um canal de aquisição de clientes muito mais eficaz

Para alcançar mil potenciais clientes antigamente, quantos vendedores eram necessários estarem na rua? Quanto tempo demorava alcançar esses mil prospectos? Convenhamos, é muito mais fácil atingir mais pessoas com a atuação online e com um custo muito menor. Otimize a sua máquina de vendas e tenha muito mais alcance e resultados com os mecanismos que só a internet permite ter.

 

10.   É possível comprovar retorno do investimento em marketing

O marketing tradicional é visto normalmente como um centro de custo que muitos empresários olham com ressalvas por não conseguir visualizar uma relação muito transparente entre causa/efeito – o que leva a perguntas frequentes como por exemplo “esse cliente veio da minha ação de rádio, ou da televisão?” ou mesmo se “será que meu vendedor está prospectando esse monte de contatos que ele me apresenta ou essas informações são fantasiosas?”. Essas e muitas outras podem ser evitadas através das ações de Inbound marketing.

Tudo é monitorado e possível de observar o retorno do investimento realizado em marketing, segmentando inclusive por campanha e por canal. Assim, você poderá ter com mais precisão as informações para ter um braço de marketing e vendas mais alinhado e eficiente, deixando de ver essa ambiência do seu negócio como custo e sim transformando-a em um investimento estratégico no sucesso do seu empreendimento.

 

 

Após apresentar essas 10 argumentações para o seu time de marketing, certamente as objeções serão suplantadas e o Inbound marketing poderá ser implementado na sua empresa com muito mais assertividade, faça bom uso e tenha bons resultados!

 

Quer saber mais sobre Inbound marketing, personas e jornada de compra? Clique na imagem abaixo e receba o nosso e-book completo sobre como funciona o Inbound Marketing.

 

 

Aprenda de uma vez por todas o que é jornada de compra

Você já entendeu o que é Inbound Marketing e definiu suas personas. Agora, é hora de aprender o que é jornada de compra. Neste artigo você vai entender esse processo e como ele irá otimizar suas métricas de marketing e impulsionar suas vendas.

 

Depois de detalhar e construir a(s) persona(s) do seu empreendimento é necessário pensar em quais estágios essa persona percorrerá até virar sua cliente.  Neste fase, é de extrema importância que você entenda o processo de forma macro: um desconhecido entrará em contato com sua marca, entenderá que você tem a solução para os problemas dele, irá comparar a sua oferta com outras soluções existentes no mercado e, por fim, tomará a decisão de ser (ou não) seu cliente.

 

Para tal é fundamental conversar com o seu time de marketing e buscar entender quais são as principais dúvidas ou dificuldades que os clientes apontam durante o processo de negociação. Ao criar a jornada de compra, a sua empresa determina quais são os passos que o seu lead terá de percorrer até fechar negócio com você. Assim, você deverá mapear todo esse processo decisório, tentando ajudar esse lead nas suas dúvidas mais recorrentes. Dessa forma, você poderá produzir conteúdos e ajustar seus processos de forma a facilitar o processo de compra. A rigor, podemos resumir em 04 grandes etapas. Veja:

 

Aprendizado e descoberta

Pode parecer estranho, mas normalmente o seu cliente não sabe que tem um problema ou um desejo sobre determinado tema. Cabe à sua empresa despertar o interesse dele e fazê-lo perceber essa necessidade ou que está desperdiçando uma grande oportunidade. Uma dica aqui é criar conteúdos com temas mais amplos, algo como um um conteúdo introdutório sobre determinado assunto relacionado à problemática que você pretende resolver para a sua persona/cliente.

Lembre-se que seu cliente provavelmente está online, no desktop ou no celular, sendo abordado por diferentes marcas em diferentes canais o tempo todo, então retenha a atenção dele com algo útil. Para a persona Marina Moreira, que tem uma agenda puxada e é adepta de atividades físicas, um tipo de conteúdo que poderia chamar a sua atenção poderia ser “Dicas de como render mais na academia”.

 

Exemplos de conteúdo: infográficos, blog posts, social posts, e-books, webinar com temas introdutórios.

 

Reconhecimento do problema

Nesse momento, nosso cliente já demonstrou interesse pelo seu conteúdo e já se aprofundou um pouco mais sobre o tema, percebendo que talvez ele tenha um problema ou mesmo esteja deixando de lado uma boa oportunidade. Tente então agora criar um desejo para essa necessidade apontada, ou faça melhor: revele para ele uma oportunidade ou mesmo um problema que ele talvez nem saiba que tenha. Dessa forma, a necessidade em resolver esse problema, o fará buscar soluções. Nesta etapa, um exemplo de conteúdo para a nossa persona Marina poderia ser  “como trocar 2 horas de treinos por 30min de treino de alto rendimento”.

 

Exemplos de conteúdo: e-mail marketing, blog posts, checklists, planilhas, social posts, e-books , webinarios com temas mais profundos.

 

Consideração da Solução

Nossa persona já mapeou soluções possíveis para o seu problema e  começou a avaliá-las, mas ainda tem dúvida sobre qual das soluções é a melhor para ela. Desse modo, cabe a sua empresa criar uma posição que demonstre que vocês são uma boa solução para o caso dela, estimule nesse lead o senso de urgência, não deixe ele perder tempo pesquisando outras soluções. Um exemplo de conteúdo para a nossa persona Marina: “Veja como a nossa cliente conseguiu queimar X mil calorias e ainda economizou 9hs semanais em treinos”. Prova social que a sua solução dá resultado e tem pessoas falando bem da sua empresa.

 

Exemplos de conteúdo: Estudo de caso e whitepapers, provas sociais (depoimentos), pesquisas sobre o seu setor.

 

Decisão de Compra

Enfim chegou o momento da compra. Após avaliar as diversas opções, o lead irá escolher qual empresa será escolhida. Nesse momento é ideal apresentar seus diferenciais competitivos, mostrar como você é mais vantajoso que o seu concorrente, para que assim ele veja que a sua empresa é a melhor escolha. Para a nossa Marina Moreira, poderia ser um convite para fazer uma semana de aula experimental gratuita, ou mesmo um desconto promocional “apenas para ela” em um plano semestral.

 

Exemplos de conteúdo: Benefícios que os seus clientes possuem, demonstração (trial), comparativos .

 

Produzindo conteúdos que alimentam essas 4 fases da jornada de compra e distribuindo esses materiais nas fases do inbound marketing, ou seja, pelas fases de atração, conversão, relacionamento, vendas e retenção, sua empresa terá uma máquina de vendas que se estiver vinculada a um software de automação de marketing, certamente seu processo de comercial e de relacionamento da sua empresa será muito mais eficiente.

 

Quer mais conteúdos sobre jornada de compra, personas e o novo marketing? Clique na imagem abaixo e receba o nosso e-book completo sobre Como funciona o inbound marketing.

 

Principais erros no processo de construção de personas

 

É comum cometermos erros nesta fase. Não se assuste! Vamos aos 03 principais erros na construção de personas:

 

  1.        Criar personas demais

Pecar por querer quantidade e não qualidade. Quando você consegue construir uma persona de qualidade, com definição precisa, clara à todos, certamente seus conteúdos terão melhores resultados. Evite desperdiçar esforços tentando agradar diversas personas – muitas dessas são irrelevantes para o seu empreendimento (lembra de Pareto ou do cliente ideal? Pois é…). Comece com uma ou duas e, no futuro, analise se é válido ter outras. Lembre-se que quanto mais personas  mais material específico você terá que produzir para atendê-las.

 

  1.   “Eu acho que”

A persona deve ser construída baseada em fatos e dados: assim ela terá qualidade. Se ela não foi construída assim, pare e a reformule – uma qualidade duvidosa aqui tende a gerar para a sua empresa muito mais problemas do que você imagina!

 

  1.   Perda de tempo com detalhes irrelevantes

Se durante o processo de construção da persona começar a surgir discussões do tipo “qual é a cor dos olhos ou cabelo” e a sua empresa não é do segmento de lentes de contato ou estética, sinto muito, você já queimou algumas horas do seu dia.

Dê atenção para aquilo que é realmente relevante: detalhes pequenos e irrelevantes, apenas atrasam o processo. Mantenha o foco nas principais características, como por exemplo, qual problema nossa empresa resolve dessa persona.

 

Após atentar para esses 03 erros, certamente você conseguirá ter uma persona bem clara, excelente para que seu time de marketing de conteúdo consiga produzir os melhores materiais para atender de forma mais humanizada o indivíduo.

 

EXEMPLO DE PERSONA BEM CONSTRUÍDA

Nome: Marina Moreira

Sexo: feminino

Idade: 30 anos

Cargo: Funcionária pública

Empresa: Tribunal de Justiça Federal

História: Marina Moreira é funcionária pública federal, cargo que conseguiu através de dedicação diária, através de rotinas intensas de estudo. Marina prosseguiu com essa rotina de dedicação também com relação ao seu corpo e sua saúde, já que pratica com frequência atividades esportivas de longa duração e alta intensidade, e participa de eventos de triathlon.

Marina é adepta de alimentação saudável e de atividades esportivas coletivas e individuais. Marina pesquisa com frequência dicas de alimentação saudável e sobre como melhorar o seu rendimento nas atividades físicas e durante o seu dia a dia.

Principais objetivos: Manter a forma física, ser referência para as suas amigas e família, mostrar que é possível ser bem sucedida profissionalmente sem descuidar da saúde. Sente necessidade de estar numa comunidade de pessoas com o mesmo perfil e comportamento.

Desafios: Conciliar a sua agenda profissional, com os eventos ligados a manutenção da sua qualidade de vida e melhoria de rendimento, sem deixar de lado os eventos sociais e familiares. A persona busca otimizar o seu tempo através de novas soluções que lhe permitam ter uma melhor agenda diária que possibilite  conciliar todas essas atribuições.

Como uma academia de alto padrão pode ajudar: Ao buscar novas soluções para ter uma melhor eficiência em seus treinamentos e otimizar a sua agenda diária, a persona terá acesso a um leque de serviços (Hiit, crossfit, natação, corrida, bike, musculação, etc), além do suporte a nutrição esportiva. Treinos variados, intensos e de curta duração, que podem substituir horas de baixo rendimento, permitindo assim, mais tempo livre para outras atividades. Fornecendo um ambiente que reúna pessoas como ela, bem sucedidas e adeptas a esportes, dando senso de comunidade, com treinos direcionados para a melhoria de rendimento físico, além de eventos em grupo como corridas e bike de rua. A academia será como um centro de serviços esportivos para a melhoria de rendimento.

 

Agora que você já entendeu o que são personas, a importância de tê-las bem definidas para o sucesso da sua estratégia e como evitar os erros mais comuns desse processo, faça um Raio-X do marketing digital do seu negócio gratuitamente!

 

Clique no banner e experimente nossa ferramenta GRATUITA.

 

 

Desenvolvimento de Personas: Como acertar sua estratégia de marketing e parar de jogar dinheiro fora

Muitos empresários chegam na Vindi e ao serem perguntados sobre quem é o seu cliente, logo respondem: “todos!”. esse é o primeiro erro clássico de marketing : achar que todo mundo é seu cliente!

 

Dizer que “todo mundo” é seu cliente é muito vasto, muito aberto e, convenhamos, as pessoas são diferentes! E têm desejos diferentes para as mesmas necessidades, onde por exemplo, para a necessidade de se hidratar para acabar com a sede, um cliente pode ter o desejo de comprar uma água mineral , outro de tomar um isotônico, outro talvez queira um refrigerante –  todos atendem a necessidade desse cliente, mas através de diferentes produtos ligados ao desejo do cliente. Então anote aí essas primeiras definições:

 

Necessidade é tudo aquilo que você tem que ter e é indispensável, por exemplo, alimentação, transporte, vestuário, habitação, educação, saúde e entre outras, são as necessidades básicas do ser humano.

 

Desejo é uma aspiração ou expectativa de possuir ou alcançar algo, está muito ligado a vontade do ser humano. Por exemplo, para uma pessoa que necessita de transporte, ela pode ter o desejo de deslocar de ônibus ou de carro.

 

Beleza, após essa explicação, ficou claro que a sua empresa não deve ter enquanto cliente, todos os clientes, certo?

 

Segmentação

 

É importante você escolher um segmento claro que consiga atender o máximo de necessidades e desejos desse cliente. Pratique a escolha de um grupo de clientes e veja como a sua solução consegue atendê-lo. Na verdade, sugerimos que você faça melhor: crie uma solução (produto ou serviço) para atender os objetivos (necessidades e desejos) desses clientes e não faça o inverso – não crie um produto e depois tente encontrar o cliente.

 

No marketing existem algumas definições que são importantes e devem ser  resgatadas para evitar que erros como esse acima citado. Você provavelmente já escutou falar sobre mercado, segmentos de mercado, público alvo, segmentos de clientes, e persona, certo? Mas você sabe diferenciá-los? Pois é: sobre esses tópicos vamos falar um pouco abaixo para que você possa construir com clareza, enfim, a persona dentro da sua estratégia de Inbound marketing.

 

Mercado

 

Primeiramente vamos falar sobre o mercado. Muitas empresas sonham em atender todo o mercado, mas como vimos acima, é errado e insano pensar assim. O mercado é o local onde vendedores e compradores se encontram, negociam e transacionam via troca monetária, bens ou serviços entre as partes, o qual tende a se equilibrar naturalmente pela lei da oferta e da procura. Como vender algo específico para todos? As necessidades e desejos não vão bater…

 

Segmento de Mercado

 

Dentro desse mercado amplo e bastante abrangente, existem os segmentos de mercado, que são grupos de consumidores que possuem as mesmas preferências e características.

 

As empresas segmentam o mercado para agregar potenciais compradores em grupos que têm uma necessidade em comum e que responderão de forma similar a uma ação de marketing, aumentando assim as vendas e a rentabilidade das ações de marketing.

 

Essas segmentações de mercado podem ser baseadas tanto nas características do cliente como nas situações de compra, e variam de acordo com o tipo de cliente, como veremos a seguir:

 

  • Business-to-Consumer(B2C):

o   Características do cliente: geográficas (região, tamanho da cidade, etc), demográficas (gênero, idade, estado civil, etc) e psicográficas/comportamentais (personalidade, valores e estilo de vida);

o   Situação de compra: tipo de ponto de venda (em loja , venda direta), benefícios procurados (características do produto, necessidades), uso/frequência (taxas de uso, situações do usuário), consciência/intenções (conhecimento do produto) e comportamento (envolvimento).

 

  • Business-to-Business(B2B):

o   Características do cliente: geográficas (região, área estatística e densidade), demográficas (atividade econômica, setor, número de empregados, vendas anuais, números de locais);

o   Situação de compra: natureza do bem (tipo, forma de uso e aplicação) e condição de compra (localidade de compra, quem compra, tipo de compra).

 

Público-Alvo

 

Dentre esses diversos segmentos de mercado, existe um segmento que tem mais afinidade e interesse potencial por seus produtos e serviços. A esse segmento de mercado, chamamos de público alvo da sua empresa.

 

Por exemplo, um público alvo, descrito de forma bem sucinta para uma academia de alto padrão localizada em Belém do Pará, poderia ser:

 

“Jovens entre 25 e 35 anos, residentes em Belém, da classe B e A com renda acima de R$ 9.370,01 que gostam de realizar atividades esportivas e adeptos de um estilo de vida saudável.”

 

De forma mais objetiva, para ficar mais claro para a organização, temos os segmentos de clientes, que de acordo com Alexander Osterwalder, um dos autores do livro Business Model Generation (2011), é o “agrupamento de um segmento distinto de clientes que têm necessidades comuns, comportamentos comuns e outros atributos comuns, onde a sua empresa deverá tentar alcançá-los para melhor servi-los”.

 

Um exemplo de segmento de clientes para o Google: usuários e anunciantes. Perceba que é bem mais direto, pois o Google terá que pensar em serviços para atender com excelência a ambos – os grupos de  usuários e também como entregar os melhores serviços para os anunciantes.

 

Algumas empresas ainda determinam o seu cliente ideal (Ideal Customer Profile – ICP), ou seja, aquele cliente que cumpre uma série de requisitos e deixa o melhor retorno para a empresa. Normalmente esse cliente ótimo é traçado pelo diretor de marketing do seu negócio, o qual deve determinar que características são as mais relevantes, como por exemplo, o hipotético cliente ideal uma agência de marketing:

 

“Herdeiro de um negócio familiar do ramo da construção civil, com nível superior, amante de inovação, fã da marca, que entende o serviço, tem uma verba de marketing estabelecida no valor de no mínimo R$ 10.000,00 e tem poder dentro daquela organização para executar as estratégias acordadas”.

Claro que você poderá especificar ainda mais detalhes sobre esse cliente ideal, apontando quais os locais que você o encontra, que comportamentos ele tem e outras características que são mais interessantes e que ele possa vir a ter.

 

Cada empresa, inequivocamente, tem o seu cliente ideal. Cabe ao marketing comunicar para a equipe de vendas essas qualificações, de forma que esse time consiga ir para o mercado de forma mais orientada e possa trazer novos clientes para a sua empresa.

 

Persona

 

Certo, avançamos mais um marco!

 

“E a tal persona? Como eu faço a minha persona para executar com excelência o Inbound marketing na minha empresa? ”

 

Agora que você já tem o perfil do seu cliente ideal, podemos construir a nossa persona.

 

Após apresentar todos esses termos ligados intimamente ao marketing é fundamental entender o conceito do que é Persona (ou Buyer Persona) e porquê ela é tão importante para o marketing digital da sua empresa.

 

Persona é um personagem típico fictício retirado do seu público-alvo, que representa o seu cliente ideal, ou seja, é a convergência de características reais do seu público alvo em um só personagem e que representa em sua essência todas essas características.

 

“Por que fazer uma persona para a minha empresa?”

 

A persona é criada para ajudar a sua empresa a ter empatia com os seus clientes, com isso, é possível que a sua equipe de marketing consiga analisar que tarefas o seu cliente realmente deseja executar, quais são os desafios que ele precisa cumprir, quais são os seus objetivos, quais são suas dores, preocupações, suas principais dificuldades e os seus principais sonhos, desejos e realizações.

 

Olhando para o indivíduo fica muito mais fácil entender e encantar o seu cliente. É possível gerar no cliente aquela percepção “Essa empresa pensou em mim quando fez esse material!”. Assim, você conseguirá produzir conteúdos muito mais humanizados e, de certa forma, mais personalizado também.

 

Quer ver um exemplo de persona para aquele mesmo público alvo da academia de alto padrão que foi citado anteriormente?

 

“Marina, solteira, 30 anos, residente em Belém do Pará, no bairro do Umarizal, com uma renda de R$ 12.000,00 mensais, fruto do seu trabalho como funcionária pública federal. Marina curte praticar diversos esportes, tanto coletivos como individuais. Seu hobby é participar de competições de triathlon e seguir uma alimentação rígida e saudável. Suas amigas a consideram as vezes chata demais por seguir uma rotina diária de abdicações por causa dos treinos e da alimentação saudável, causando uma frequente falta em eventos sociais que concorrem com a sua rotina, o que deixa Marina triste às vezes. Marina deseja com esses sacrifícios se manter jovem e saudável, bem como ser exemplo para as suas amigas que estão um pouco acima do peso e que é possível sim conciliar sucesso profissional, qualidade de vida e saúde.”.

 

Nessa declaração de persona é possível identificar diversas características que compõem o seu público alvo, pois apresenta características geográficas, demográficas e psicográficas , mas além disso, permite enxergar os objetivos e sonhos da Marina, bem como seus problemas e preocupações.

 

Perceba que Marina está dentro daquele público-alvo supracitado, mas a forma apresentada usando a persona é muito mais tangível e quente do que as informações frias caracterizadas na declaração do público-alvo.

 

Com a persona, a sua equipe de marketing terá condições de  trabalhar de forma mais correta ao pensar em conteúdos e ações que venham ajudar a Marina a resolver os seus problemas e atingir seus objetivos, diferentemente de pensar nos jovens de 25 a 35 anos, que convenhamos, é muito mais distante da realidade da nossa triatleta. Você não concorda?

 

Agora que você já leu e sabe a importância de ter personas bem definidas para o sucesso da sua estratégia, que tal fazer um Raio-X do marketing digital do seu negócio?

 

Clique no banner e experimente nossa ferramenta GRATUITA.

 

O que é estratégia de marketing?

É muito comum ver empresas gastando tempo e recursos tentando encontrar o modelo de negócio perfeito e, quando acham que encontram, percebem (tardiamente) que o mercado não precisa, não quer ou não entende o que elas oferecem…

Essa falta de visão sobre o negócio pode ser resolvida com a ajuda de uma boa estratégia de marketing.

A palavra estratégia vem do latim strategĭa que, por sua vez, deriva de dois termos gregos: stratos (“exército”) e agein (“conduzir”, “guiar”). Portanto, o significado primário de estratégia é a arte de conduzir as operações militares.

 

Não dorme aí, Zerocinco.  Segura essa granada e vem comigo.

Tendo em mente a definição acima, falemos agora sobre o conceito de marketing. Tem uma frase que eu gosto muito.

“É o processo de atrair e manter o cliente”. (Theodore LEVITT, 1990)

Juntos, estratégia + Marketing  podem ser entendidos como uma forma de guiar as operações para atrair e manter clientes.

 

Ok, está acompanhando o raciocínio?

 

O tema do post de hoje é estratégia de marketing: Mas, o que isso significa, afinal?

 

Qual a importância de ter uma estratégia de marketing?

 

Mais rápido do que notícia ruim, termos de marketing viajam de post a post, de tuite a tuite, muitas vezes sem ser aplicado, ou entendido de forma correta por parte de quem o usa.

Então, quando falamos em ter uma estratégia de marketing, o que isso realmente significa?

A própria ideia de traçar uma estratégia remete a planejar, pensar bem antes de tomar qualquer medida prática.

Mas, uma estratégia bem-sucedida é mais do que uma preparação antecipada. Envolve também um acompanhamento durante a execução do projeto. Isso envolve:

 

Objetivos evidentes

 

Escolher o que você pretende alcançar com o marketing é o primeiro passo para uma estratégia de sucesso.

Este é você, tentando definir seus objetivos, Zerocinco? Não seja assim, por favor!

Depois de definir claramente o que se pretende alcançar, é muito mais fácil se concentrar apenas nas ações que ajudarão a empresa nisso, e ter noção de quanto tempo isso vai demorar.

Por isso, podemos dizer que uma estratégia de marketing só funciona quando tem objetivos bem definidos e compartilhados por todos na empresa.

Comunicação contínua

É muito comum as pessoas caírem no equivoco de pensar que fazer marketing significa trabalhar apenas com a inspiração e a criatividade, mas não é bem assim.

Há muitos processos e estruturas envolvidos nesse trabalho, e a boa comunicação garante que todos os profissionais façam o seu melhor a cada momento.

Procedimento Operacional Padrão – POP

É uma ferramenta muito simples que compõe a área da qualidade, as Instruções de Trabalho – IT, também, conhecidas como NOP (Norma Operacional Padrão) ou POP (Procedimento Operacional Padrão), têm uma grande importância dentro de uma empresa, o objetivo básico é o de garantir, mediante uma padronização, os resultados esperados por cada tarefa executada, ou seja, é um roteiro padronizado para realizar uma atividade.

Os POPs podem ser aplicados, por exemplo, numa empresa cujos colaboradores trabalhem em três turnos, sem que os trabalhadores desses três turnos se encontrem e que, por isso, executem a mesma tarefa de modo diferente.

Quer saber mais a respeito? Deixe suas dúvidas nos comentários desde post.

Analisar resultados

Como saber se tudo que estamos executando está dando retorno?

No caso do marketing isso acontece ao analisar o que chamamos de métricas e KPIs (Key Performance Indicator). Essas métricas são dados relevantes sobre pontos específicos do planejamento.

Para aprofundar um pouco mais sobre KPIs, trata-se do indicador que é utilizado para medir o desempenho dos processos de uma empresa e, com essas informações, colaborar para que alcance seus objetivos.

Por exemplo, é possível saber quantos novos clientes a empresa conseguiu, quanto lucro isso trouxe, entre outras informações.

Depois é só comparar isso com os objetivos definidos e ver se o negócio está no caminho certo ou não.

Por que é importante ter uma estratégia?

Só pela explicação anterior nós já conseguimos perceber que é vantajoso ter uma estratégia de marketing, não concorda?

Mas, para que você se convença ainda mais disso, Zerocinco, listei 4 motivos sobre a importância da estratégia para a sua empresa:

Redução de estresse

Conduzir uma campanha de marketing sem qualquer tipo de planejamento é tipo…

Parece uma luta que não acaba nunca. Isso levaria à tomada de decisões importantes sem qualquer tipo de informação ou critério, mal uso das ferramentas disponíveis para o trabalho, conflitos internos, falta de resultados e desânimo geral.

Em outras palavras, trabalhar sem se planejar e seguir um rumo certo significa muito estresse desnecessário.

Esse estresse todo é evitado a partir do momento em que se adota um padrão de trabalho, uma estratégia com começo, meio e fim.

 

Redução de despesas

Uma coisa que todo empreendedor deve manter em mente é: decisões ruins custam dinheiro.

Sempre que uma decisão ruim é tomada, isso acaba custando à empresa tempo para ajustes e energia dos colaboradores que poderia ser usada para outras tarefas.

Isso sem contar os casos em que um investimento mal feito acaba dando prejuízo financeiro de forma direta!

Por isso, traçar uma estratégia clara ajuda a evitar decisões ruins, o que significa reduzir as despesas no projeto

 

Decisões melhores

 

Quanto mais informações de qualidade você tiver à disposição antes de tomar uma decisão, mais fácil será acertar nos pontos mais importantes para que o negócio se mantenha saudável.

Como se planejar envolve também se manter bem informado, fica claro que isso interfere de modo positivo nas escolhas que você terá de fazer ao longo do caminho.

E com tantos caminhos que você pode seguir, saber para onde direcionar os esforços é a diferença entre o lugar comum e o sucesso.

 

Time motivado

 

Imagine uma equipe que não consegue se manter em sintonia, não tem metas claras e nem sabe realmente o que fazer para resolver o problema.

É importantíssimo que todas as partes envolvidas no projeto deem suas opiniões e  sejam ouvidas.

Agora pense em um time que tem objetivos claros em foco, colabora entre si para alcançá-los, e consegue se manter atualizada em um mercado competitivo.

Qual você acha que estaria mais motivado?

Esta é a grande diferença entre ter ou não uma estratégia de marketing bem definida e segui-la!

 

Fechando o post de hoje, vamos falar agora sobre alguns filmes que podem te ajudar a entender sobre boas estratégias de marketing.

 Filmes sobre estratégia que todo empreendedor deveria ver

 

Obrigado por Fumar – Filme 2005

 

Este é um dos meus favoritos. Apesar de Lobby não ser (exatamente) uma profissão no Brasil, nele Nick Naylor (Aaron Eckhart) é o principal porta-voz das grandes empresas de cigarros, ganhando a vida defendendo os direitos dos fumantes nos Estados Unidos.

Polêmico, mas uma verdadeira aula de Atendimento e estratégia em debate.

Cidadão Kane (Citizen Kane) – 1941

 

OBRIGATÓRIO para profissionais de comunicação e extremamente recomendado para gerentes de marketing e empreendedores. Dirigido por Orson Welles, o longa conta a ascensão de um mito da imprensa americana.

De garoto pobre no interior a magnata de um império do jornalismo e da publicidade mundial.

O Lobo de Wall Street – 2013

 

Este não poderia faltar, não é verdade?

Nesta autobiografia impressionante e divertida, o Lobo de Wall Street narra sem meias palavras sua história de ambição, poder e excessos.

Uma vida marcada pelo relacionamento tumultuado com sua esposa, com quem morava numa mansão servida por 22 criados, e por aventuras ao redor do mundo com aviões, iates, drogas e mulheres.

Até que alguns passos em falso o colocaram frente a frente com a Justiça, ao mesmo tempo em que se perdia no mundo do vício… E tudo começou a desmoronar.

 

E aí, pronto para fazer a sua estratégia de marketing? Se precisar de ajuda com o seu marketing digital, clique no banner abaixo.

 

Dia do Cliente: como vender mais?

Como aproveitar o Dia do Cliente para vender mais? Atrair o consumidor e tratá-lo de maneira adequada é indispensável para o varejo. Criado com esse propósito, o Dia do cliente é  celebrado dia 15 de setembro.

Para começar, facilitar a vida do consumidor e melhorar a experiência que ele vai ter ao procurar o seu comércio são formas de ter um destaque maior nesta data. Mas segura aí que tem mais dicas legais

Dia do cliente: como conquistar o freguês neste dia.

Existem algumas dicas importantes que os varejistas podem seguir para aproveitar o Dia do Cliente e alcançar um bom resultado nas vendas. Saiba quais são e qual a melhor forma de usar cada uma delas:

Procure pelo cliente online

Para o consumidor, já não há distinção entre físico e digital. Ele procura pelas melhores ofertas e condições de compra. Portanto, não meça esforços para buscar esse cliente também no online.

Use os mecanismos de busca a seu favor. Utilize o Zoom e o Buscapé para ver como outras empresas oferecem o seu produto/serviço.

O Google é um excelente termômetro do que é popular na Internet. Como o principal buscador utilizado no Brasil, com cerca de 90% da preferência, ele mostra nos primeiros resultados das buscas o que realmente é mais relevante e popular para o público.

O que você deve fazer é selecionar palavras-chave relacionadas ao seu negócio, buscar por elas no Google e ver quais sites, blogs e páginas em redes sociais mais estão sendo acessados. Seguindo o exemplo da loja de decoração, você poderia buscar por “decoração”, “design de interiores”, “decoração de interiores”, “decoração de festas”, “itens de decoração”, “objetos de decoração” e outras.

Navegando pelos resultados dessas buscas, você pode ter uma ideia de sites e blogs onde poderia anunciar, ter ideias de conteúdos que você pode falar no seu próprio blog e atrair potenciais clientes.

Diversifique os canais

O novo cliente está muito mais exigente. Ele quer mais por menos. Além disso, as redes sociais deram poder para os consumidores insatisfeitos desmascararem marcas que mentem e enganam. Por isso, é importante buscar outras formas de se comunicar com esse cliente. Sua marca precisa estar nos buscadores, nos e-mails, nas redes sociais e onde mais estiver o consumidor.

 

Conheça e fidelize o consumidor

É importante que o consumidor sinta-se sempre valorizado e cuidado. O dia criado especialmente para ele é uma ótima oportunidade para as marcas mostrarem a importância que dão a ele. Por isso, a dica é para aproveitar o momento e se aproximar.

Uma dica interessante é criar campanhas convidativas e que estimulem o cliente a deixar pistas daquilo que ele deseja comprar nos próximos meses ou datas comemorativas. Assim, o lojista tem a oportunidade de oferecer o produto certo para quem o procura – por meio de ferramentas especializadas –, aumentando assim as chances de conversão.

Seja Omnichannel

Devido ao crescente uso de dispositivos móveis pelos consumidores, como smartphones e tablets, é necessário que os lojistas pensem ainda mais em como se comunicar com o público-alvo.

Antes, o e-mail e o call center eram as principais ferramentas de interação entre as empresas e seus clientes. Contudo, especialmente com a expansão das redes sociais, esses pontos de contato começaram a dividir espaço – e a atenção do consumidor – com aplicativos, assistentes virtuais inteligentes, SAC 2.0, mensageiros instantâneos, entre outras tecnologias disponíveis no mercado baseadas no conceito de Internet das Coisas.

É aí que entra o conceito de Omnichannel.

Ser Omnichannel é trabalhar de forma integrada, de modo que a experiência na loja física seja complementada pela interação digital e vice-versa. O cliente pode começar a ser atendido por uma rede social, continuar sua ocorrência por chat e finalizar por um canal de voz ou loja física, de acordo com a sua conveniência.

É possível – e imprescindível – melhorar a decisão do cliente em favor da marca e aumentar a taxa de conversão, além de entregar agilidade e atender à demanda de imediatismo dessa nova geração que já não está mais disposta a esperar.

E você? Já está pensando nisso?

4 dicas de produtividade para mudar sua vida agora mesmo

Prática, regra, rotina, mania são alguns dos sinônimos dos famosos hábitos. Aquela palavra que muita gente conhece, mas pouca gente consegue manter.

Quando você se der conta que criar hábitos pode ser muito bom para a sua produtividade e, consequentemente, para os resultados do seu negócio, talvez você se convença a começar hoje mesmo.

E para que fique mais fácil neste post você vai aprender 4 dicas de produtividade para mudar sua vida agora mesmo.

Quero compartilhar aqui quatro das maiores dicas de produtividade que usei neste ano que me ajudaram a fazer nos últimos 6 meses o ano mais incrível da minha vida. Eu também compartilharei como você pode aplicar isso na sua vida para tornar o seu  segundo semestre ainda melhor

1. Use o bloqueio de tempo.


Ter uma lista de tarefas não é uma coisa ruim por si só. Mas levanta a mão quem cria uma enorme lista de tarefas e nunca consegue resolver todos os itens listados.   o/

Este ano, eu decidi que uma lista não era suficiente. Eu precisava realmente agendar tempo no meu dia para realizar essas tarefas. Esse conceito é muitas vezes conhecido como “time-blocking”, e é tão simples, mas tão poderoso, que você não vai acreditar.

Basta pegar sua lista de tarefas e dar a cada item um lugar no seu calendário. não importa se você usa um calendário físico ou um online; simplesmente bloqueie o tempo para trabalhar em cada item da sua lista.

Então, quando você estiver no seu bloco de tempo, não se deixe distrair. Desligue o seu telefone, não verifique seu e-mail (a menos que você esteja no seu bloco de “checar e-mails”) e faça apenas isso!

2. Faça o seu trabalho mais importante primeiro.


Em um dia muito puxado, se você for frio e calculista, vai perceber que geralmente há apenas uma ou duas coisas que  devem ser feitas imediadamente para manter sua sanidade mental (e clientes na carteira). Sim, existem inúmeras tarefas e itens na sua lista de tarefas. Mas eu aposto que uma ou duas coisas são significativamente mais importantes do que o resto.

No passado, me considerava um campeão em procrastinar nesses itens, porque eles exigiam o maior esforço ou tinham as maiores “buchas”. Aí o que eu fazia? Checava o e-mail, agendava reuniões e fazia outras cem tarefas antes de focar na principal tarefa.

Como resultado, a única coisa que eu realmente precisava fazer para impulsionar meu trabalho muitas vezes nunca era concluída, o que atrapalhava o crescimento da agência como um todo.

Para organizar o que é prioridade me relação a outra tarefa, recomendo o Run Run.it que consegue te ajudar a reservar prazos, horas trabalhadas e prioridades com um visual muito agradável.

 

3.Aprenda o poder do NÃO.

A ideia não é que você se torne uma pessoa inflexível e pouco solidária, mas dizer “não” em alguns momentos é fundamental para que você consiga gerenciar melhor o seu tempo e ser mais produtivo. Afinal, o que adianta assumir todas as tarefas, nos sobrecarregar e não dar conta de cumpri-las no prazo necessário?

Mas como dizer não sem parecer egoísta e ainda manter bons relacionamentos no ambiente de trabalho? Não é tão simples, mas tente seguir essas dicas: não diga “não” logo de cara, peça um tempo para avaliar se conseguirá ou não oferecer ajuda e depois procure a pessoa para explicar educadamente a situação; ofereça outras soluções, seja criativo; tente negociar prazos e verifique se existe a possibilidade de aguardar enquanto você finaliza suas prioridades.

Lembre-se, dizer “não” é respeitar e valorizar o seu trabalho e o seu tempo.

 

4. Evite reuniões improdutivas.


Sabemos que hoje em dia cada minuto é valioso, então por que perder tanto tempo em reuniões longas e pouco produtivas?

Ok, vamos direto ao assunto. Defina um ou mais objetivos que deverão ser alcançados durante a reunião, e concentre-se neles. Controle o tempo da reunião, para isso, o ideal é definir alguém para ficar no comando.

Este líder ou algum outro participante designado poderá, após o fim da reunião, enviar por e-mail a todos um resumo (em tópicos) sobre o que foi discutido e quais são os próximos passos de cada um, com as datas estabelecidas. Assim fica mais fácil acompanhar o andamento do trabalho e a reunião terá alcançado o seu propósito.

 

E aí, curtiu as dicas? O que você tem feito para ser mais produtivo? Escreva aí nos comentários.

Sugestões de livros: