Agência Vindi

Oportunidades e como aumentar as vendas no Círio de Nazaré

A maior festa religiosa do país possui diversas oportunidades de negócio. Veja como diversos segmentos podem aproveitá-las e aumentar as vendas no Círio de Nazaré.


DISCLAIMER: O conteúdo desse artigo foi baseado no Boletim de Mercado sobre o Círio de Nazaré, de autoria do Sebrae/PA e produzido pela Vindi. 

O Turismo Religioso é um dos segmentos que mais cresce no mundo, sendo estimado em 2016 pela Organização Mundial do Turismo (OMT) uma movimentação anual de 300 a 330 milhões de pessoas e 600 milhões de viagens.

Cada vez mais as localidades que oferecem atrações deste tipo estão entre os destinos mais procurados e escolhidos pelos turistas brasileiros e estrangeiros.

Segundo um estudo realizado pelo Ministério do Turismo (MTur), no Brasil existem mais de 300 destinos voltados para o Turismo Religioso, os quais geram aproximadamente 20 milhões de viagens domésticas, por ano, e um movimento de 4,4 bilhões de dólares.

Neste contexto, temos o Círio de Nazaré, visto como a maior festa religiosa do país, e considerada por muitos como a maior do mundo, celebrada em Belém/PA, desde 1793.

E quais as oportunidades que você, comerciante e varejista, pode aproveitar com o Círio? É o que iremos tratar neste artigo. Então continue lendo. Você irá saber mais sobre:

  1. A Fé que move a economia
  2. O Mercado paraense
  3. Oportunidades mercadológicas

A Fé que move a economia

Segundo a Secretaria de Estado de Turismo do Pará (Setur) o Círio é o principal evento turístico do Pará, desde 2014, uma vez que atrai mais de 80 mil pessoas por ano a Belém (de diferentes faixas etárias e localidades), faturando cerca de US$ 30 milhões ou pouco mais que R$ 100 milhões .

Em 2015, mesmo em meio à crise, foi registrado um crescimento de aproximadamente 3% no número de turistas no estado, totalizando 84,4 mil pessoas.

Em 2016, houve queda no número de turistas em relação ao ano de 2015; em compensação, foi alcançada a estimativa de faturamento na ordem de US$ 30,4 milhões.

Além disto, devemos considerar as consequências positivas que as exposições na mídia nacional podem gerar para o período da festividade Nazarena, tanto para a atração de novos visitantes quanto para o estímulo daqueles que são paraenses e residem em outras regiões.

Com o total estimado de 2 milhões de pessoas — entre locais, turistas domésticos e internacionais, nas ruas de Belém durante o Círio de Nazaré, não há como negar que a festividade é importantíssima para a economia do estado, e principalmente para os negócios de micro e pequenos portes ou autônomos que têm a oportunidade de atender um maior volume de clientes, aumentar suas vendas, gerar uma renda extra e, até expandir seus produtos/serviços para atender à demanda de outras localidades.

E compreendemos ainda que o evento movimenta, direta ou indiretamente, praticamente todos os setores da economia paraense: turismo, comércio, serviço, agrícola, industrial, resultando em saldo positivo de incremento em vendas e empregos no 2º semestre de cada ano.

Neste sentido, é fundamental que os estabelecimentos comerciais e de serviço estejam preparados para receber a demanda turística decorrente da festividade, não apenas para garantir o incremento nas vendas, mas, principalmente, para proporcionar as melhores experiências para o público visitante e, consequente, estimular o seu retorno e/ou indicação a outros potenciais clientes.

O Mercado Paraense

Como se dá a dinâmica mercadológica local do comércio durante o Círio de Nazaré?

Por meio do Sebrae/PA foi realizadas um levantamento junto aos empreendimentos comerciais e consumidores do estado, a fim de entender essa dinâmica.

A pesquisa apontou o seguinte perfil de consumidores:

  • Predominância do sexo feminino (52,08%);
  • Com idade entre 15 e 19 anos (27,13%), seguido da faixa etária de 20 a 29 anos (28,89%);
  • Solteiros (65,42%);
  • Estudante (38,73%), com grau de escolaridade médio completo (27,14%)
  • Renda familiar de 01 a 03 salários mínimos (36,11%), o que representa rendimentos entre R$ 937,00 e R$ 2.810,99.

No que se refere ao perfil das lojas comerciais:

  • 61,50% delas estão em funcionamento entre 1 e 5 anos;
  • São de pequeno porte;
  • Possuem até dez colaboradores;
  • Atuam predominantemente nos segmentos de confecção/vestuário (71,76%), calçados (11,49%) e venda de acessórios (10,92%);
  • Não possuem quadro societário (86,21%);
  • Não são atendidas por instituições de apoio, como o SEBRAE (67,82%);
  • Não utilizam as redes sociais para marcar presença no canal online ou divulgar seus produtos a (novos) potenciais consumidores (54,60%).

Em se tratando do período do Círio, a pesquisa apontou que 50, 57% dos lojistas entrevistados não irão realizar planejamento de ações, promoções ou mesmo treinamento da equipe de atendimento, demonstrando baixa motivação com a possibilidade de retomada dos turistas ou mesmo do consumo pela população.

Todavia, entre os 49,43% dos lojistas que afirmaram realizar ações, é importante salientar que quase 50% pretendem investir em propagandas nas redes sociais e apenas 10,7% em mídias tradicionais como TV e rádio.

No que diz respeito aos consumidores e seu local de preferência para a compra dos produtos, 64,65% dos consumidores apontaram o centro comercial, seguido dos vendedores ambulantes (59,6%) e do shopping center (19,7%).

Em relação à expectativa de gastos durante o Círio de Nazaré, 27,08% dos consumidores entrevistados informaram a faixa entre R$ 100,00 e R$ 199,99, mas se tratando apenas de produtos o valor fica entre R$ 10,00 e R$ 49,99.

Na percepção dos lojistas o valor a ser gasto por consumidor é majoritariamente de até R$ 99,00, demonstrando maior cautela e baixo otimismo na retomada da confiança do consumidor para novas compras, mesmo em um momento de grande festividade.

Ainda neste sentido, 55,18% dos lojistas entrevistados estimam que a festividade do Círio de Nazaré será boa, com aumento no fluxo de clientes e um aumento de pelo menos 10% no quantitativo.

Oportunidades Mercadológicas

A partir da análise dos dados do mercado, comprovamos as oportunidades econômicas geradas ao estado do Pará e, principalmente, aos empreendedores (com negócios já consolidados, em desenvolvimento ou com perfil autônomo) durante a festividade do Círio de Nossa Senhora de Nazaré.

Abaixo, serão apresentadas as principais oportunidades mercadológicas deste período de sazonalidade paraense:

TRANSPORTE

O ponto de partida para o Turismo Religioso, já que os meios de transporte abarcam tanto a chegada ao destino esperado como a locomoção dos turistas no local. No caso do Círio, os meios aéreos, rodoviários e fluviais são utilizados intensamente nos dias que precedem à procissão.

AGÊNCIAS DE TURISMO E TURISMO RECEPTIVO

As oportunidades crescem para agências, com pacotes que incluem, aéreo, traslados, city tour e passeios pelo rio e ingressos para romaria fluvial; para as companhias aéreas e rodoviárias (intermunicipais) que veem na ocasião a oportunidade para aplicar a Lei da Oferta e Demanda; às empresas de locação de veículos que atendem à demanda dos turistas que preferem explorar a cidade por conta própria; os motoristas de táxi e, principalmente, os particulares de aplicativos que atendem os turistas que preferem segurança, agilidade e maior conforto no transporte.

Dentre outros negócios que podem aproveitar indiretamente do crescimento nos portos de chegada/saída, citamos os vendedores de alimentos e bebidas, adereços temáticos ao Círio e até mesmo grupos musicais para entreter o público.

HOSPEDAGEM

Apesar de 56,4% dos turistas do período se hospedarem na casa de amigos ou familiares, os demais buscam pelas opções de acomodação que melhor se adequem à sua realidade turística (considerando o perfil de viajante e os acompanhantes) e financeira.

Enquanto opção, os hotéis e pousadas são os principais alvos de busca, devido a sua infraestrutura, benefícios (pacotes especiais para o Círio), credibilidade e segurança que em regra proporcionam.

Contudo, em virtude do desejo de viajar em um período de recessão, outras opções de acomodação também podem surgir como opção aos turistas mais flexíveis ou que desejam vivenciar o espírito da localidade, como é o caso do aluguel de imóveis completos ou de apenas um cômodo da casa por alguns dias.

O evento representa uma boa oportunidade de negócio para hostels e albergues, considerando que a média de turistas que viajou sozinha a Belém para o Círio em 2016 foi de 46%.

Segundo o estudo sobre tendências realizado pela Phocuswright e divulgado pela Hostelword, nos últimos 5 anos, o quantitativo deste tipo de hospedagem cresceu 533% no Brasil, todavia, em Belém eles ainda somam apenas 08 (oito) unidades — o que demonstra grande potencial de crescimento visto o aumento no número de visitantes a capital anualmente.

TURISMO

Como já citado anteriormente, o Círio é o evento turístico mais importante para o estado, haja vista o fluxo de pessoas que é atraída para a região, em um curto período de tempo, em busca de novas experiências espirituais, gastronômicas e culturais.

Sendo o estado rico, em todos estes quesitos, as oportunidades para os empreendimentos é enorme.

E, além dos pontos turísticos tradicionais, que são os principais locais de atração/visitação do público, há outras localidades e riquezas naturais que podem ser melhor exploradas neste período pelas agências de turismo e/ou

profissionais que atuam na área do turismo receptivo, como: as praias com água de rio, as ilhas próximas à capital Belém, os furos de igarapés e diversos outros passeios que podem ser montados para fugir do tradicional.

COMÉRCIO

É um dos segmentos mais beneficiados, pois as chances de vendas estão disponíveis para todos que optam em investir em itens personalizados,  relacionados à festividade, tanto para uso individual como coletivo, como os itens de decoração.

Entre os personalizados o que mais se destaca são aqueles produzidos artesanalmente, aliando criatividade e (em alguns casos) tradição. Os itens de vestuário, acessórios e lembranças da festividade são os de maior crescimento – tanto no mercado formal quanto informal, tendo em vista a possibilidade de criação de peças, quase sempre exclusivas, utilizando os elementos característicos da festividade como as fitas e imagens de Nossa Senhora de Nazaré. Enquanto lembranças destaca-se ainda o uso de insumos e aromas regionais, como o patchouli, a cerâmica marajoara e icoaraciense, tururi, dentre outros.

Outros itens que se destacam são os brinquedos tradicionais de miriti que, diferente do uso original (brincadeiras), hoje é mais visado como item de decoração de objetos e residências.

Gostou desse conteúdo e quer mais informações e insights? Baixe gratuitamente o Boletim de Mercado do Círio de Nazaré no formulário disponível no início do artigo.

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×
Opa, beleza? Se tiver alguma dúvida, me chama aqui no Whatsapp.